Onde ficou a paixão?

Onde ficou a paixão?

Nesse dia do invento comecei a pensar sobre o que nos gera paixão. Isso é porque acredito que, para poder criar ou inventar primeiro tem que ser apaixonado.

Me atrevo a dizer que todos os seres humanos possuem algo que gera um sentimento e excitação mais profunda do que o normal. Essa coisa que sempre nos atrai, que nos faz um pouco louco. Uma paixão (ou muitas). No filme “O Segredo dos Seus Olhos” O personagem de Guillermo Francella a descreve como ninguém, a paixão não pode ser alterada, nos move, nos determina, nos explica.

Ken Robinson, em seu livro “The Element” nos diz que precisamos descobrir um ponto de encontro entre aquilo que nos apaixona e aquilo que nós somos bons. A diferença entre encontrar o ponto e não fazê-lo é abismal para nossas vidas.

Tenho uma pergunta que faço faz uns seis meses, quando entrevistamos para Workana. Acredito que as melhores paixões são reveladas em situações de absoluta liberdade. A pergunta é:

 Se você ganhasse na loteria, ou herdasse muito muito dinheiro. O que você faria? Qual seria o seu projecto para seguir em frente?

Quando começamos a falar sobre o que nos apaixona em seguida mudamos a postura, o rosto se ilumina, o olhar se perde, aumenta os batimentos. Nos sentimos bem. Imagine poder trabalhar todos os dias com esse sentimento.

Por que não? Não importa se a sua paixão é um esporte, uma arte ou algoritmos matemáticos. Não importa o que os outros acham. O importante é encontrar a maneira em que a sua paixão faça parte do seu trabalho e da vida cotidiana. Sempre existe uma maneira.

Há uma enorme vantagem em acreditar e amar o que você faz. Nos ajuda a pensar o tempo todo sobre, a encontrar ideias para melhorá-lo, inventar novas maneiras de resolver problemas. Trabalhar com o que nos apaixona nos motiva como nenhuma outra coisa.

Minha história

Minha esposa diria que o meu problema é que sou apaixonado por muitas coisas. Pode ser, mas para mim também foi difícil me aproximar para trabalhar todos os dias em algo que me encanta. Até hoje luto com o desejo de desenvolver meu lado ator frustrado ou produtor / designer de vídeos jogos. Desde que comecei a estudar, tentei sempre escolher o que mais me aproximava da minhas paixões. Cada novo trabalho significou uma aproximação para esse ideal. Amo criar coisas e começar do zero, com total liberdade. Também amo trabalhar em pequenas equipes de pessoas altamente eficazes.

Eu amo a tecnologia e acredito que tem o poder que pode ajudar para que todos os seres humanos evoluam com maior igualdade de oportunidades. Tudo isso me leva a trabalhar todos os dias feliz naquilo que eu estou fazendo. É por isso que neste dia do invento, a melhor maneira que encontrei para que inventem mais coisas ou realizem mais ideias foi motivando vocês a se permitirem levar por isso que te gera paixão.

Não precisa largar tudo já. Mas comece. Workana é um lugar incrível para experimentar novas ideias, tanto como profissional ou como empreendedor. Você pode começar pequeno e encontrar o momento certo para saltar …

 

Guillermo Bracciaforte é CEO em Workana

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *