GIG economy e freelancing: a aposta das grandes empresas em 2019

Contratar freelancers não é somente uma forma efetiva, rápida e econômica de fazer crescer pequenas e médias empresas. Com o auge do que chamamos GIG economy, o talento independente está se tornando cada vez mais uma aposta de sucesso entre as grandes empresas.

Neste artigo, queremos te contar e explicar tudo o que você precisa saber sobre esta (não tão nova) forma de trabalhar e como as corporações inovadoras ao redor do mundo estão aproveitando para tirar proveito e vantagens competitivas de mercado segundo o estudo mais recente e completo da empresa  especializada em consultoria externa Kelly Services.

Vamos aos fatos!

Antes de mais nada, o que é a GIG Economy?

Hoje em dia, desenvolver-se profissionalmente está sendo uma prioridade para o crescimento constante, ao invés da aparente estabilidade de casar-se com apenas uma empresa pela vida inteira. As novas gerações desenvolveram expectativas muito altas com relação a possibilidade de integrar o trabalho, ao estilo de vida e as paixões pessoais com remuneração superior se comparado ao fato de terem que trabalhar das 9h às 18h para uma empresa.

A GIG Economy, também conhecida como a economia de trabalhadores livres, engloba qualquer tipo de atividade econômica que se paga por tarefa, projeto ou breve atividade. Isto inclui os freelancers em todas as áreas profissionais, donos de micro negócios, consultores independentes e empreendedores que aproveitam as novas tecnologias.

De fato, os inúmeros aplicativos, plataformas de trabalho independente e ferramentas digitais colaborativas foram surgindo nos últimos anos e respondem tanto pela crescente demanda de talento qualificado por parte das empresas, como pela demanda de mais alternativas de trabalho flexível para os trabalhadores independentes.

Human Cloud: o santuário dos freelancers da GIG economy

Ainda que a GIG economy venha englobar uma quantidade imensa de diferentes formas de trabalhar, profissionais e atividades, seu vínculo principal com as grandes empresas são os freelancers e consultores independentes.

Neste sentido, as chamadas plataformas Human Cloud, desenhadas para que os agentes possam compartilhar projetos e propostas, negociar condições, enviar projetos e fazer transações de dinheiro, entre outras coisas, são a coluna vertebral da economia GIG.Também conhecemos estas plataformas como FMS (Freelancer Management System).

Uma das características mais relevantes da Human Cloud é que se presta um serviço de Yelpificación”, ou seja, a medida que o talento independente são qualificados por outra parte, estes constroem uma reputação pública que vai de acordo com a qualidade do trabalho e o cumprimento dos termos.

Em resumo, estas ferramentas digitais oferecem tanto as empresas quanto aos profissionais a possibilidade de se conectarem de maneira segura, confiável e eficiente.

As habilidades de maior demanda entre os profissionais freelancers da GIG economy são:

  1. Tecnologia da informação
  2. Marketing
  3. Design
  4. Engenharia
  5. Pesquisas
  6. Desenvolvimento e consultoria estratégica

Sem dúvida, a demanda nas áreas administrativas, jurídica e de saúde, entre outras, também estão crescendo de forma exponencial

Qual o impacto atual da GIG economy no mundo?

Aqui você pode ver alguns dados mais relevantes do estudo realizado pela Kelly Services  a respeito da situação atual da GIG economy:

  • Quase um terço da força de trabalho no mundo (31%) prefere a flexibilidade e liberdade do trabalho independente
  • Os micronegócios dos freelancers independentes constituem até 17% do produto interno bruto dos Estados Unidos, chegando a gerar até 2.4 trilhões de dólares.
  • As plataformas e aplicativos de Human Cloud geram cerca de trinta bilhões de dólares anuais em lucro (SIA)
  • 65% dos gerentes de empresas trabalham ou já trabalharam com profissionais freelancers.
  • 62% dos gerentes que recorrem a profissionais freelancers, consideram que eles são o futuro do trabalho.
  • 73% das empresas consideram que a flexibilidade e a fluidez da força de trabalho será uma das estratégias mais importantes para enfrentar o clima dinâmico do mercado.
  • 81% dos dos gerentes que contratam freelancers são millennials.
  • 97% das empresas que trabalham com freelancers indicam sentir-se satisfeitas com os resultados.
  • A nível mundial, a Ásia encabeça a GIG Economy com 84% da demanda (gerentes que contratam profissionais livres), seguida por Europa, com 80% e Américas com 54% sendo somente os Estados Unidos com 47%.

Como as empresas podem aproveitar a GIG Economy?

Quando as empresas quebram paradigmas do trabalho tradicional, do funcionário de tempo integral, começam a aproveitar os talentos de um universo de trabalho muito mais amplo. Como resultado, estes se adaptam melhor aos objetivos de crescimento da empresa, que por sua vez, se tornam muito mais competitivas no mercado.

A medida que as organizações amadurecem sua estratégia de atração dos talentos dentro da GIG Economy, alcançam resultados de negócios significativamente melhores que aquelas empresas que ainda se prendem a modelos convencionais.


1.- Economia de tempo e custos de contratação

57% das empresas que contratam freelancer indicam que a redução de custos de contratação é uma das principais motivações.

Em média, 43% das empresas que recorrem a trabalhadores independentes economizam pelo menos 20% de verbas de contratação e ainda, aquelas que estão mais comprometidas com o trabalho GIG possuem três vezes mais chances de economizar até 30%. Além disso, tem onzes vezes mais chances de alcançar vantagens competitivas significativas.

2.- Trabalhadores mais independentes

49% das empresas que trabalham com freelancers tem entre suas principais motivações a possibilidade de aproveitarem seus conhecimentos e experiências e 72% acreditam que os profissionais independentes estão muito comprometidos com a qualidade do seu trabalho.

O perfil dos freelancers que foram contratados pelas grandes empresas se caracterizam por um elevado nível de educação e habilidades críticas. Valorizam a possibilidade de desenvolver-se profissionalmente e cresceram de maneira constante e frequentemente e buscam capacitar-se para seguir aumentando seus ganhos.

Estima-se que 75% dos profissionais livres escolheram essa modalidade de trabalho por razões positivas que incluem o empoderamento pessoal e o aumento de oportunidades profissionais.

3.- Equipes de trabalho mais versáteis

60% das empresas que contratam freelancers tem entre suas principais motivações sanar a escassez de talento qualificado para projetos especializados.

As companhias atuais estão buscando maneiras de atrair talentos externos em áreas como a de tecnologia e o marketing digital entre muitas outras que compreenderam e dominaram as tendências emergentes.

4.- Inovação Constante

Somente 17% das grandes empresas que contratam freelancers o fazem com a principal motivação de se tornarem mais inovadoras e competitivas no mercado. Sem dúvidas, os trabalhadores independentes possuem entre suas qualidades a capacidade permanente e isso lhes permite aportar ideias e projetos novos que rompem de maneira positiva o status quo.

Está comprovado que quanto mais estratégias sejam as motivações de uma corporação para recorrer a trabalhadores da economia GIG, maior é o impacto positivo que causam.

Segundo a análise de Kelly Services, o fato de que sejam tão poucas as empresas que estão vendo além das vantagens tradicionais de contratar freelancers, deixam abertas um imenso nicho de oportunidades.

Quais são os desafios da GIG economy para as grandes empresas?

Uma pesquisa realizada pela Deloitte, revelou que somente 16% das empresas possuem a sua disposição, práticas e políticas para gerenciar adequadamente uma grande variedade de tipos de trabalhadores. Segundo Amy Angel, vice presidente e chefe de cultura organizacional de Kelly Services, o desafio inicial é mudar a mentalidade:

Cada vez mais nossos clientes estão pedindo estratégias para atrair talentos e buscar soluções que ofereçam uma vantagem competitiva em seus negócios. Nossas conversas com eles são educativas, acima de tudo, porque primeiro eles precisam fazer uma mudança de pensamento“.

Quando perguntamos às empresas quais são os desafios que as empresas enfrentam ou temem enfrentar com a integração da economia GIG a sua força de trabalho, 34% mencionou dificuldades administrativas , 30% inconsistência na qualidade do trabalho e 32% os problemas relacionados à confiança. Essas foram as respostas que encabeçaram a lista.

As empresas que obtiveram sucesso na integração de freelancers com êxito e inovação enfrentam esses desafios mediante a transmissão de suas culturas empresariais, um processo de integração padronizado e o uso de ferramentas digitais adequadas.

Como fazer para que o freelancer entenda a cultura da empresa e se sinta parte dela?

Assim como a maioria das grandes empresas contam com um processo de integração adequado para seus novos funcionários fixos, uma corporação que queira aproveitar ao máximo os benefícios dos trabalhadores GIG precisam começar a otimizar os seus processos de integração.

É necessário que tanto os gestores como os encarregados da cultura organizacional dediquem tempo para determinar qual a melhor metodologia para transmitir aos trabalhadores externos e introduzi-los na filosofia e visão da empresa. Isso com o propósito de aumentar os níveis de compromisso e confiança mútua.

Como fazer a integração com alguém externo?

Segundo Jeff Miller, do conselho de Recursos Humanos da Forbes, um dos piores erros que as empresas cometem ao contratar freelancers é assumir que o processo de integração não é necessários para trabalhadores temporários ou externos.

Sem dúvidas é preciso estabelecer com clareza absoluta as expectativas sobre como deve ser a comunicação e a colaboração com a equipe e isso se obtém com a integração. O trabalho pode ser de muita qualidade mas a experiência da integração ao trabalho não, o que causará eventualmente problemas e conflitos.

Com bastante frequência, os profissionais independentes trabalham em mais de um projeto e a expectativa geral é a de conseguir um aliado permanente e chamar este profissional para projetos similares e não somente para somente um projeto uma vez na vida.
Esta é a principal razão pela qual se torna fundamental que cada novo trabalhador independente atravesse por um processo efetivo que minimize a curva de aprendizagem e que seja mais fácil estar adaptado desde o início ao estilo de comunicação dos funcionários internos.

Um total de 65% das empresas com um bom nível de maturidade em seus processos de atração de talento da economia GIG consideram que fazer uma integração efetiva é fundamental para acelerar e facilitar o compromisso e fluidez dos trabalhadores independentes.

Como lidar com a equipe interna para que não se sintam ameaçados com a chegada de talentos externos?

Experimentar dificuldades na integração e resistência por parte dos funcionários é a quarta preocupação dos gerentes de recursos humanos no momento de contratar freelancers.

Para resolver este problema, é necessário incentivar uma mudança em direção a esquemas mais flexíveis de trabalho em toda a organização e não apenas com trabalhadores externos. Se trata de mudar a cultura de trabalho para que todos, a medida do possível, possam ser mais autônomos e autogerenciáveis.

As empresas mais inovadoras com relação a integração do talento GIG são 47% mais propensas a fomentar a independência em toda a sua força de trabalho.

Por outro lado, Jeff Miller indica que os funcionários de tempo integral e os trabalhadores GIG são colaboradores de tipos distintos e que  por isso requerem tipos de liderança distintos.

Em geral, liderar trabalhadores ou equipes remotas, está muito relacionado com reaprender a estabelecer expectativas realistas para todos e oferecer a cada um todas as ferramentas que necessitam para concretizarem os seus trabalhos, estabelecer um sistema adequado de acompanhamento e especialmente respeitar os calendários de entrega e prazos.

Como superar as dificuldades administrativas e a qualidade ao contratar freelancers?

As maiores dificuldades administrativas e as inconsistências na qualidade são as principais preocupações das empresas que ainda não se decidiram em estarem integradas com a GIG economy e pensando nisso muitas plataformas Human Cloud como a Workana oferecem um ambiente de contato e negociações simples, com segurança e confiabilidade.

Na Workana é possível encontrar toda classe de profissionais independentes que contam com qualificações e avaliações de outros clientes sobre a qualidade de seus trabalhos. Além disso, nosso sistema oferece a garantia de que a empresa receberá o trabalho acordado em tempo e formato esperado antes de liberar o pagamento.

Além de tudo isso, contamos com um sistema de comissões escalonadas que promove as relações a longo prazo entre as empresas e os freelancers e quanto mais projetos são concretizados com o mesmo parceiro de negócio, o percentual da comissão diminui.

As oportunidades de inovação e crescimento que podem abrir para a sua empresa mediante a contratação de um talento independente são muitas. Comece a aproveitá-las agora mesmo!

 

Escritora, redatora e estusiasta do Marketing Digital. Adoro viajar, sou promotora do estilo de vida freela, e sempre que posso ajudo as pessoas a buscarem uma melhor qualidade de vida por meio do trabalho freelance.

Subscribe to the Workana newsletter and keep updated