Trabalhando na praia

Trabalhando na praia

O que? Sim, você escutou bem. Desde quando somos pequenos, nos perguntam “o que você quer ser quando crescer?”, quando na verdade a pergunta que estão fazendo é “em que você vai trabalhar durante 90% do ano para poder desfrutar das tão esperadas e sempre curtas férias nos 10% que restam?”.

Porque, na verdade, muitas pessoas vivem planejando as suas férias, contando os minutos pra se distanciar da rotina de trabalho… por apenas algumas poucas semanas. E quando voltam, o ciclo começa outra vez. Acredito que isto é algo com que todos nós estamos acostumados, porque fomos criados assim, porque “a sociedade diz que é assim”, porque é o que se deve fazer, porque todos fazem e porque aparentemente não há outra opção. O certo é que é assim.

Faz pouco tempo que estou trabalhando como freelancer para a Workana, administrando as redes sociais e colaborando com tarefas de Marketing Digital. Foi algo que aconteceu no verão e que me deixou muito entusiasmada para começar. Neste momento, eu estava atravessando uma etapa de mudanças em minha carreira profissional, onde estava buscando me aproximar do que eu gosto e que me motiva… mas, isso ficará para outro texto. Como era uma proposta de tempo reduzido, decidi timidamente caminhar em direção à aventura do trabalho freelance e nem sequer parei para pensar no que faria durante o verão, ou se sairia de férias.

Com o passar dos meses, surgiu a oportunidade de viajar para o litoral durante algumas semanas…

Em uma situação profissional comum, eu precisaria ter avaliado quase um milhão de fatores: se teria dias disponíveis, se estava avisando com tempo suficiente, se poderia chegar a terminar o meu trabalho pendente para este momento, se era uma época complicada para o setor, se havia alguém disponível para seguir as minhas tarefas enquanto não estivesse, se o meu chefe não estaria nestes dias, se os meus companheiros estariam nestes dias, etc.

Mas, como não estou em uma situação profissional comum, a única coisa que precisei avaliar foi se o lugar para onde eu ia me hospedar tinha conexão com a internet. E a verdade é que eu nem precisava disso, bastaria encontrar um lugar X com internet disponível durante algumas horas por dia e eu já poderia trabalhar.

Não pensei duas vezes. Administrar o seu próprio tempo é uma das vantagens do freelancing que negociam na bolsa (descubra quais outras vantagens existem neste post: 9 benefícios do trabalho freelance que você não esperava). Avisei na Workana (por via das dúvidas, já que poderiam querer se encontrar comigo pessoalmente durante estas semanas) e fui viajar, muito feliz com a minha decisão.

Criei para mim uma rotina especial para estes dias: me levantava cedo, ia para a praia até o meio-dia, voltava para almoçar e me conectar durante as horas que fossem necessárias para trabalhar e, depois de terminar a jornada, voltava para a praia até a hora do jantar, para continuar aproveitando o sol.

Alguns dias não foram tão lindos, mas não faltaram jogos, filmes, caminhadas, vistas do pôr-do-sol, leituras e descanso. E o trabalho? Eu continuei intercalando entre todas essas coisas, adaptando a rotina que havia planejado de acordo com o cliente (isto me lembra a experiência do Ale Kikuchi, que trabalhou e viajou pelo mundo).

 Tive a oportunidade de combinar o trabalho e o descanso, compromisso e diversão. Eu recomendo e repetiria mais vezes. Muitos poderão dizer que desta forma não existe um descanso real, mas eu não fui viajar buscando férias, e mesmo assim me senti de férias em muitos momentos. Asseguro a vocês deque, depois de estar um momento concentrada no computador, olhar o mar era um descanso muito melhor do que olhar a árvore fora de casa. E isso fez a diferença.

Com esta experiência, continuei reforçando a minha ideia de que nem tudo é branco e preto. Não existe só a opção de ir trabalhar ou descansar, como sempre nos ensinaram. Claro que, em algum momento, eu terei as minhas férias para descansar 100% com todas as letras, mas se eu não fosse freelancer, não poderia ter vivido esta experiência.

Sendo profissional independente e trabalhando de forma remota, é possível fazer as combinações que você quiser e organizar o seu tempo como preferir. Se não conseguir, consulte o Pablo Grande. 😉

Pelo que o meu trabalho implica, eu gostava de estar conectada de dia, mas há muitos trabalhos nos quais, se preferir, você pode trabalhar bem cedo ou bem tarde para aproveitar o dia de praia completo. Ou, por que não levar o notebook para a praia e trabalhar no balneário depois de um mergulho no mar? Seja qual for a sua opção, a correta será a que você mais gostar, porque, depois de tudo, já somos grandes e agora SIM podemos escolher o que queremos ser.

Soledad Pagés, Community Manager na Workana.

Para começar a trabalhar de forma independente, veja os projetos publicados na Workana e se candidate!

Você também pode empreender para aproveitar as suas próprias férias na praia: crie um projeto na Workana e contrate freelancers que te ajudem a desenvolvê-lo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *