E lá se foi 2013

Chegou finalmente essa época do ano, quando vestimos nossos suéteres coloridos, vamos todos juntos comprar um pinheiro para colocar em casa, fazemos anjinhos na neve e tomamos chocolate quente em frente à lareira… Ahhnn, parece que estou narrando um filme do Chevy Chase.

Aqui, um calor de 35 graus, todos vestindo o mínimo possível e agarrados ao ar condicionado, rezando pra não faltar luz 😛

Ainda que não tenhamos renas e que ninguém possa explicar por que nosso Papai Noel não tira nem o cachecol quando vem nos visitar, é um bom momento para reduzir um pouco o ritmo, pensar em tudo que ficou pra trás e fazer um balanço do que está por vir. E, no nosso caso, tudo que aconteceu na Workana em 2013 foi incrível.

Nada melhor para nos dar uma ideia da dimensão das mudanças do que vê-las em números:

  • Crescemos mais de 10 vezes em faturamento

  • Ultrapassamos os 1500 projetos por mês

  • Já somos mais de 115.000 Workaneiros

  • Em 2013, tivemos projetos em 18 dos 22 países da América Latina (Cuba, Haiti, Honduras, Guiana, em 2014 chegaremos aí!)

No nível de produto, evoluímos muitíssimo também. Novas funcionalidades como gamification, multimoeda e o Workana Time Report são alguns exemplos. E, para continuar apresentando esse conceito para cada vez mais gente, redobramos nossos esforços de educação, com a série de webinários, casos de sucesso, posts de convidados e ampliação de nosso horário de atendimento ao cliente. Em 2014, faremos muito mais.

Olhando para fora, para os mercados mais desenvolvidos, houve muitíssimo movimento. Em junho, a conferência LeWeb organizada em Londres teve seu programa inteiro em torno da Sharing Economy. Empresas disruptivas, como a Airbnb, chegaram a receber 10 milhões de hóspedes e Uber, a companhia de transporte, mostrou que estão chegando aos bilhões de dólares ao ano. A tendência chegou ao mundo mais tradicional, quando, em janeiro, a Avis comprou o car-sharing Zipcar por US$ 500 milhões.

Já com relação ao que fazemos, alguns dias atrás, os dois líderes da indústria, Elance e Odesk, anunciaram que estão se unindo. E o terceiro do ranking, Freelancer, foi mais rápido e teve uma alta na bolsa australiana em novembro. Ainda está muito cedo para percebermos os efeitos, mas aqui está um bom artigo sobre o impacto que todo esse movimento está causando.

Mas além disso tudo, o que mais nos deixa felizes é ver as mensagens que recebemos de vocês. Poder sentir que a Workana realmente está ajudando a viverem uma vida melhor. Casos como o de Talita Fonseca, que pôde triplicar seus rendimentos em apenas 3 meses e recuperar sua autonomia. O de Fernando Marques, que perdeu um ano tentando realizar projetos para sua empresa sem sucesso, até que encontrou a Workana. E as centenas de vocês que nos escrevem todo mês, contando suas experiências, as coisas boas, ruins, tudo. Começamos a Workana justamente porque acreditamos profundamente que o conceito de trabalho está mudando e cremos que a independência e a flexibilidade são dois conceitos muito poderosos dos quais o emprego tradicional nos tinha privado. Mas, além disso, acreditamos no potencial da América Latina. Não vemos a região simplesmente como um foco de trabalho para que clientes de fora reduzam seus custos, mas para que clientes latinoamericanos possam conseguir excelentes talentos latinoamericanos para cuidar de seus projetos. E, se há algo que nos surpreendeu desde que começamos, foi que o nosso nível de talento não perde para nenhum outro do mundo.

Começamos a Workana há 18 meses, buscando criar uma plataforma que solucionasse tudo isso. Nem nos nossos mais delirantes sonhos, imaginamos chegar onde estamos hoje e isso é, totalmente, graças a vocês. Então, nessa data, quero desejar a todos Boas Festas e que o ano que está por vir seja ainda melhor que este. Aqui do nosso lado, não temos dúvidas de que 2014 vai chegar com tudo  🙂

Grande abraço,

Tomás

30-12-2013 18 PT

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *