Entrevista com Brian Doll, Gerente de Marketing da GitHub

Aproveitando sua visita a Buenos Aires, para a PHP Conference Argentinanosso hacker in chief Mariano Iglesias entrevistou Brian Doll, Gerente de Marketing da GitHub. Criada originalmente para simplificar o processo de compartilhamento de código, a companhia não é apenas a maior hospedagem de código no mundo, mas também um exemplo de “companhia distribuída”.

Fique sabendo como eles gerenciam uma equipe de profissionais trabalhando remotamente, os motivos, benefícios e desafios de trabalhar nesta modalidade e muito mais nesse papo com Brian Doll.

entrevista com brian doll
Da esq. para a dir: Brian Doll (VP de Marketing da GitHub), Mariano Iglesias (Hacker in chief da Workana), Shawn Davenport (Diretor de Segurança da GitHub)

 —————————————————————————————————————————–

M: Quantos funcionários a GitHub tem atualmente e qual porcentagem deles trabalha remotamente?

B: Atualmente, somos 213 e aproximadamente 70% de nossos funcionários trabalham em algum lugar fora de nossa sede principal em San Francisco.

M: Qual o papel mais comum entre os funcionários que trabalham remotamente? Essa modalidade é permitida só para programadores ou é uma política da empresa como um todo? 

B: Há alguns cargos que preferimos que trabalhem em nossa sede principal. Por exemplo, o local da GitHub é gerido de San Francisco, onde temos todo nosso inventário. Todos os funcionários novos começam trabalhando uma semana no escritório de San Francisco como parte de sua indução – e é por isso que nossa equipe encarregada da indução está baseada em San Francisco.

Prefiro o termo “companhia distribuída” a “trabalho remoto”, porque considero que descreve melhor a nossa estrutura. Embora San Francisco seja nossa sede principal, apenas 20% de nossos funcionários trabalham a partir de lá em um dia qualquer. Se 80% da equipe não trabalha no escritório, quem está, de fato, trabalhando de maneira remota?

Hoje em dia, muita gente, tanto em cargos de engenharia quanto negócios, trabalha no mundo todo para a GitHub.

M: Quais qualidades uma pessoa precisa ter para trabalhar remotamente?

B: A comunicação é sempre essencial para trabalhar em equipe, mas é ainda mais importante quando se trabalha com equipes distribuídas. Com gente trabalhando em diferentes fusos horários, todos precisamos ser capazes de nos comunicar com clareza de forma assíncrona.

Trabalhamos de forma muito colaborativa, como você pode imaginar, então precisam ser capazes de dar e receber feedback e a busca contínua pelo aprendizado e melhoria também é importante.

M: Vocês utilizam alguma ferramenta ou dispositivo para gerenciar e administrar os recursos que trabalham remotamente? Quais são as ferramentas de comunicação (Skype, Google Hangouts) que vocês usam com os recursos que trabalham fora do escritório?

B: Nossos escritórios são o GitHub.com e o chat. Praticamente tudo que fazemos, marketing, imprensa, blog, software, design, indução, etc, tudo se passa no GitHub.com. Usamos o chat para discussões em tempo real e usamos várias plataformas de vídeo chat para sincronizar com a equipe. Algumas equipes usam o Hangouts regularmente, enquanto outras se conectam às vezes, em situações nas quais o vídeo chat seja uma solução mais rápida e fácil do que por escrito.

M: Como se motiva uma equipe que trabalha remotamente? Vocês têm alguma política de reuniões periódicas pessoalmente?

B: Estar cara a cara com seus colegas de trabalho e passar tempo junto é realmente importante. A primeira semana de nossos funcionários ocorre em San Francisco, o que dá a eles a oportunidade de conhecer pessoalmente o maior número de GitHubbers presentes em um só lugar. Todos os anos fazemos um evento para o qual trazemos todos a San Francisco por uma semana. É uma espécie de mistura entre a conferência de tecnologia mais incrível e a melhor festa à qual você já tenha ido.

Além disso, cada equipe na GitHub tem mini eventos mais ou menos a cada seis meses. Fazemos eventos em San Francisco também. Isso dá a cada equipe a possibilidade de estarem juntos por uma semana e discutir objetivos mais estratégicos, melhor discutidos cara a cara.

M: Na sua opinião, trabalhar remotamente tem um impacto positivo ou negativo sobre a produtividade e criatividade desses funcionários?

B: Trabalhar em uma equipe distribuída, com a liberdade de experimentar e trabalhar com o que é importante e sem as limitações de um dia de trabalho formal é muito benéfico para ambas, produtividade e criatividade. Publicamos vários vídeos que dão mais detalhes sobre esse ponto.

M: Esta modalidade de trabalho foi pensada como uma estratégia de negócio ou surgiu de maneira espontânea?

B: Cremos que não é possível contratar os melhores talentos se você se restringir especificamente a uma zona geográfica. Há pessoas brilhantes no mundo todo. Ao eliminar a localização como principal aspecto da pessoa a contratar, se ampliam exponencialmente as possibilidades.

M: Quais são os principais benefícios, na sua opinião, de contar com recursos remotos?

B: Queremos simplesmente contratar os melhores profissionais e deixá-los trabalhar quando e onde eles se sentirem mais produtivos e criativos.

M: Quais são os desafios dessa modalidade de trabalho e como vocês os enfrentam?

B: A comunicação baseada em texto é ótima para discussões táticas, mas não é a melhor solução para as conversas estratégicas. Quando as equipes não conseguem progredir com relação a um tema estratégico, é normalmente um sinal de que precisam passar mais tempo conversando em tempo real e, preferivelmente, pessoalmente. O vídeo chat pode servir também.

Há poucos problemas nesse mundo que não possam ser resolvidos com uma comunicação melhor.

M: Qual é o seu conselho para aquelas empresas que estão avaliando atualmente a possibilidade de contratar profissionais que trabalhem remotamente?

B: O mais importante é que considerem a si mesmas como “companhias distribuídas”, e não companhias com alguns funcionários remotos. Se começarem a tratar os funcionários que trabalham remotamente como cidadãos de segunda categoria, tudo virá abaixo.

Nós temos reuniões com toda a empresa uma vez por semana, nas quais discutimos nossa estratégia para a companhia e o produto. É de suma importância que todos, não importa onde se encontram, possam participar dessas reuniões. Conduzimos as reuniões em nosso escritório em San Francisco, mas também transmitimos ao vivo para os funcionários e respondemos perguntas via chat. Além disso, gravamos para aqueles que estiverem em um fuso muito distante ou que, por alguma razão, não tenham podido assistir a transmissão ao vivo.

Esse é um exemplo da necessidade de levar sempre em conta a forma como a companhia pode atuar em conjunto, como um todo. Tenham conversas online sempre que possível, privilegiem a sincronia e possibilitem que todos participem da conversa.

—————————————————————————————————————————–

Um papo muito interessante e inspirador, principalmente para aqueles com quem trabalhamos diariamente para fazer da Workana uma plataforma melhor  (e maior) de trabalho remoto na América Latina 🙂

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *