Freelancing: conectando oportunidades com a sua paixão

Freelancing: conectando oportunidades com a sua paixão

Exatamente no dia 1 de maio, em homenagem ao Dia do Trabalho, deixei de trabalhar como empregado.  E faz um pouco mais de 8 meses que eu entrei pro mundo freelancing e comecei a utilizar os serviços da plataforma da Workana.

Nos últimos 15 anos, colecionei muitas anedotas que fizeram de mim o profissional que sou hoje (embora ainda, eu esteja melhorando a cada dia mais). Isto me fez refletir sobre ambas modalidades: o trabalho como empregado e um certo grau de insatisfação versus o freelancing e suas exigências para se incorporar ao mercado. E ainda, quais são as tendências atuais no mercado de trabalho da América Latina?

Minha história laboral

Sou analista e engenheiro de Sistemas de Informação há 5 anos, mas tenho mais de 15 anos de experiência nas áreas de tecnologias e sistemas, sendo que estive cinco anos em uma automotora multinacional alemã (mundo privado ou corporativo) e mais cinco anos no governo como funcionário público (o mundo político ou de administração pública). Não vou negar que aprendi muito com cada um deles e também tive grandes realizações pessoais, implementando soluções a partir de vários cenários diferentes.

No mundo corporativo você tem que ser exigente, eficiente, competitivo, organizado, estruturado, processual, etc. Digamos que é um lugar onde o principal objetivo é obter a maior rentabilidade com o menor custo. Neste ambiente, você tem acesso às últimas tecnologias, trabalho em equipes multidisciplinares, e sempre respeitando diretrizes e padrões internacionais. No entanto, muitas vezes a criatividade é deixada de lado e, geralmente, você não pode direcionar o seu trabalho para aquilo que você realmente gosta.

E, depois veio a administração pública com outras prioridades, tais como as relações públicas, necessidades do povo, tecnologias não tão modernas devido aos recursos escassos, processos indefinidos e ineficientes, etc. Nesta cenário sentimos o prazer de poder ajudar os outros, ao fornecer ferramentas e soluções para tornar o dia a dia dessas pessoas um pouco mais agradável, a fim de suprir suas necessidades e melhorar a qualidade de vida. Mas como nem tudo sempre é um mar de rosas, lamentavelmente a política é cambiante, sem planejamentos a longo prazo, etc. Sendo muito sincero, o que você começou hoje, não sabe se poderá terminar amanhã ou se tiver muita sorte, quantas gestões vai durar. Triste, não? Mas é a realidade! Embora durante todos os anos que eu estive ali, o balanço do trabalho realizado foi extremamente positivo.

Ambas experiências me fizeram chegar à conclusão que mesmo executando trabalhos que me satisfaziam profissionalmente falando, ainda assim existia um certo nível de insatisfação. Afinal: o que nos motiva hoje, amanhã já não motiva mais.

Freelancing: trabalhar com o que eu gosto

Por esta razão, eu decidi fazer o que eu realmente gosto. No entanto, a grande questão é: Onde estão estas oportunidades que podem me interessar? ou Como faço para encontrar um trabalho que se encaixe com o que eu realmente gosto de fazer? Isto também me fez pensar bastante na falta de conexão que existe entre o que queremos fazer e as oportunidades que existem no mercado, mas que ainda são desconhecidas.

À procura de novas oportunidades e querendo aproveitar ao máximo o trabalho globalizado, acabei na plataforma da Workana. Um sistema que me permitiu entre uma e outra proposta realizar vários projetos de meu interesse e ao mesmo tempo me posicionar entre os  primeiros profissionais da minha categoria dentro da plataforma. Tenho que dizer para todos vocês que o Freelancing requer um grande compromisso, perseverança, organização e esforço. Mas quando fazemos o que gostamos, estas qualidades fluem sem maiores complicações.

A plataforma oferece inúmeras propostas laborais separadas por categorias e interesses, das quais você pode participar e executar o trabalho. No entanto, o mais interessante de tudo isso é a capacidade de poder conectar oportunidades com a sua verdadeira paixão. Isso responde as minhas perguntas dos dois parágrafos acima.

Quando conectamos as oportunidades com a nossa paixão, fica muito mais fácil desenvolver e fortalecer qualquer tipo de relação com os profissionais e depois de algum tempo, formar equipes multidisciplinares, todas com um mesmo objetivo e sinergia, algo muito difícil de conseguir em uma organização.

Como eu disse no começo, faz um pouco mais de oito meses que estou trabalhando como freelancer e já tenho uma visão bem diferente sobre o trabalho, ou seja, hoje faço o que eu gosto e ainda me divirto. Neste breve espaço de tempo, eu já tive muitas oportunidades e escolhi aquelas que mais me interessaram. Também conheci novos colegas, executei vários projetos e que me geraram novas propostas.

Eu não posso mentir sobre essa ideia de ser meu próprio chefe e só fazer o que quero e quando quero. Pois não é bem assim! Afinal, hoje meus chefes são os meus clientes e os meus horários são as datas de entrega de cada um dos projetos em andamento. Organização, responsabilidade, eficiência, profissionalismo e perseverança são qualidades que não podemos deixar de lado no freelancing. Mas o lado bom de tudo isso, é que você tem mais flexibilidade para organizar e orientar o seu trabalho de acordo com o que realmente lhe interessa. Talvez pela manhã você queira sair para caminhar um pouco, buscar o seu filho no colégio, finalizar um projeto e pegar outro mais interessante ou que te motive mais. E, tudo isso é possível!

Eu acredito ter encontrado um parceiro de negócios que promove e conecta talentos com oportunidades dentro de um setor ou região. Onde os profissionais têm o mesmo nível de conhecimento e propostas econômicas semelhantes. Os projetos disponíveis, na sua grande maioria, são da América Latina. O que permite uma conexão direta com os conhecimentos, pois como disse antes, as culturas e necessidades de todos que estão envolvidos são bem parecidas.

Dia do Trabalhador como freelancer: Reflexão final

Para concluir, quero dizer para você não ter medo de procurar  algo que lhe motive ou o que você realmente goste de fazer, mais ainda quando você é pago para isso. Este novo modo de trabalho lhe dá novas oportunidades, então não deixe de aproveitá-las ao máximo.

Pessoalmente, eu mantenho a visão de poder montar uma equipe de trabalho multidisciplinar para desenvolver grandes projetos.  Onde cada um dos integrantes se sinta confortável com o que faz, que possa colaborar e compartilhar suas experiências. Enfim, fazer aquilo que realmente te apaixona. Talvez utilizando o mesmo método…

Finalmente, depois desta reflexão só posso dizer que… “As insatisfações que sentimos no âmbito laboral em determinado momento, podem ser mitigadas ao fazer aquilo que mais gostamos…”

Gostaria de receber o seu feedback, você pode me escrever ou deixar os seus comentários no meu Twitter ou site.

Manuel Romero, freelancer classificado entre os Top 100 de TI e Programação na Workana.

A melhor maneira de comemorar o Dia do Trabalho é começar a procurar o trabalho dos seus sonhos!

Dê uma olhada também nas ferramentas criadas especialmente para el freelancing no VidaFree.la, como, por exemplo, a Calculadora Freela que te ajudará a saber quanto cobrar como freelancer, ou veja  quanto os freelancers da América Latina cobram por hora

E para aqueles que estão pensando em começar o seu próprio negócio… Crie um projeto na Workana e contrate freelancers  para que te ajude a desenvolvê-lo!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *