Nova seção! Entrevista com Martín Saracco, do Top 50 da Workana

Na Workana, damos muita importância ao nosso ranking: queremos formar uma comunidade sólida e confiável de profissionais para trabalhar nos projetos mais desafiantes, sempre agregando valor a seus clientes.

Hoje, apresentamos uma nova seção do blog, na qual, mês a mês, vamos entrevistar profissionais do TOP 50:  não apenas para saber quem são, mas também para que compartilhem sua experiência sobre como cresceram como freelancers, quais foram seus maiores desafios e como se posicionaram no ranking workaneiro… Ninguém mais ninguém menos do que os melhores 50 profissionais da plataforma! (E bota Top nisso, já que temos mais de 110.000 profissionais na Workana…)

Para inaugurar esta nova seção, entrevistamos Martín Saracco, especialista em Design e Multimídia. Saiba como ele começou a trabalhar como freelancer e como construiu uma excelente reputação na Workana! 😉

———————–

Entrevista Martín SaraccoQuando você começou a trabalhar como profissional freelance?

Faz 4 anos e meio, depois de trabalhar em diferentes empresas em vários países, decidi tentar a sorte como freelancer. De início, como todo começo, foi difícil. Em pouco tempo, os clientes foram falando uns com os os outros e, por recomendações, consegui não apenas conquistar mais de 500 clientes satisfeitos no mundo ao longo dos anos, mas também trabalhar em tempo integral como freelancer.

Quais eram os seus maiores problemas/desafios quando você começou a trabalhar como Freelancer?

Ao contrário de quando você trabalha em empresas, você não consegue trabalhos se não se mexer. Acredito que, para a maioria das pessoas que trabalham como freelancer, a maior dificuldade é encontrar novos clientes. Tem que procurar, sair, conversar e não ser apenas o designer, mas também atender, ser seu próprio contador, para poder entender o quanto você está gastando e o quanto o seu trabalho vale realmente, é algo que leva tempo e que, muitas vezes, é frustrante no começo.

Como você conheceu a Workana?

Um dia, procurando trabalhos, decidi investigar e conheci a Workana. No começo, tentei outros sites internacionalmente reconhecidos e deixei a Workana de lado pois, na época, os outros eram mais populares. Lamentavelmente, esta foi uma decisão ruim, pois nos outros sites só ganhei centavos. Um dia, abri a Workana para tentar e realmente foi um dos sites mais confiáveis e onde consegui mais clientes.

Como você conseguiu criar uma reputação na plataforma e entrar no top 50?

Trabalhando, trabalhando, trabalhando e tentando ao máximo entender que todo cliente é diferente. Todos eles têm suas necessidades, seus prazos e, principalmente, suas dificuldades.

Qual importância você dá ao ranking da Workana?

No meu caso, não é algo com o qual eu tenha obcecado, mas acredito que é um parâmetro que o cliente pode tomar como referência. E é justamente nisso que se tem que pensar. Lamentavelmente, como disse antes, nem todo cliente é igual e, muitas vezes, tem que deixar de lado o diploma e pensar só como “cliente”. Já me pediram combinações de cores impensáveis, muitas coisas nas quais eu jamais trabalharia e, no final, o que conta em certos casos não é aquilo a que eu dou importância, mas sim o que o cliente deseja. 

Quais foram suas prioridades para ir ganhando posições?

Ganhar posições se deu de forma natural, à medida em que eu ganhava mais projetos e boas qualificações de clientes. Como profissional, não me importo apenas em trabalhar como designer, mas também em dar uma excelente atenção aos clientes. Por essas coisas, fui ganhando 5 estrelas em muitos projetos e, um dia, consegui estar entre os profissionais mais qualificados do site.

Ao contratar, o que você acha que o cliente valoriza mais ao se decidir por esse ou aquele profissional?

Acredito que as referências são um ponto importante. Mas, ao mesmo tempo, acredito que ter um bom portfólio com diferentes projetos e estilos é o que o cliente valoriza mais.

E no seu caso em particular, qual você acha que é o seu maior diferencial?

Sem dúvida é a atenção, explicar que tudo tem uma razão, seja cor, pontos, tipografia ou até os pequenos detalhes. Eu gosto de explicar cada uma das decisões que tomei e mostrar por qual razão o desenho no qual trabalhei é a melhor opção para o cliente.

———————–

Muitíssimo obrigada pela entrevista, Martín!

Como puderam ver, Martín soube exatamente como crescer como profissional freelance e prestar um excelente atendimento ao cliente, para se destacar no ranking. E vocês, workaneiros, como conquistaram um bom posicionamento como profissionais em seu caso específico? Conte sua história nos comentários!

Entrevista de Jesica Mraz
Tradução e adaptação por Equipe Freelaholic

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *