Os 20 "aninhos" da nossa Internet

O mundo da tecnologia está em festa: há 20 anos, em 30 de abril de 1993, o CERN anunciou oficialmente que a tecnologia usada para criar a World Wide Web seria disponibilizada ao público gratuitamente, um acontecimento que mudaria nossas vidas para sempre 🙂

O criador dessa ideia, da “World Wide Web”, foi o físico britânico Tim Berners-Lee. Mas, originalmente, a internet foi concebida como um sistema de troca de informações entre médicos de universidades e instituições do mundo todo.

Naquela época, havia também outros sistemas de informação, como WAIS e Gopher, mas a verdade é que a simplicidade da web e o acesso – livre e aberto – declarado pelo CERN foram fatores fundamentais para o desenvolvimento rápido e para a adoção dessa tecnologia por todos.

Como afirmou Rolf Heuer, diretor-geral do CERN, a internet mudou completamente a forma como nos comunicamos, trabalhamos, inovamos e vivemos. E, sem dúvida, este é um claro exemplo de como a pesquisa básica pode beneficiar a humanidade.

A primeira página web no CERN (e do mundo) foi dedicada exclusivamente ao projeto “World Wide Web” e armazenada no computador NeXT de Berners-Lee. O site descreve as características básicas da Web, como o acesso a documentos de terceiros e como configurar seu próprio servidor. Para ver uma cópia em seu sentido original, acesse aqui.

Como parte desse dia especial, o CERN lançou um projeto para restaurar o primeiro website e preservar os ativos digitais associados a este comunicado.

Como chegamos até aqui

Era março de 1989 quando Berners-Lee apresentou a proposta para desenvolver um sistema de informação para os físicos e engenheiros que trabalhavam no CERN: a ideia era gerenciar informações através de um sistema de documentos interligados que poderiam ser acessados pela internet. Enquanto seu supervisor Mike Sendall, descreveu a proposta como “vaga, mas empolgante”, a ideia continuou e abriu precedente para o que seria uma revolução da informação.

Naquele ano, a Internet já estava bem desenvolvida, mas foi usada, basicamente, para comunicações via e-mail e transferências de arquivos, em sistemas como Gopher. Neste contexto, um grupo de entusiastas começou a pensar como criar sistemas de “hipertexto”, para criar links entre documentos diferentes. Com a World Wide Web, Berners-Lee usou a Internet para criar um sistema de hipertexto que permitiria aos físicos do CERN a leitura e a publicação de documentos, além da criação de ligações entre esses materiais.

A composição da equipe e a ideia

Robert Cailliau, engenheiro de sistemas nascido na Bélgica, juntou-se ao projeto World Wide Web e, assim, montaram um pequeno grupo de alunos. Juntos, deram um novo impulso à ideia.

O próximo passo foi tornar o software disponível para servidores e navegadores, para que todos pudessem ter seu próprio site. Em 1991, foi testado um navegador universal muito simples de usar, permitindo o acesso à web, independentemente da tecnologia do computador de cada usuário. A ideia principal era que a informação estivesse, justamente, disponível para todos igualmente. Berners-Lee também desenvolveu um sistema para que aqueles que não tivessem um browser também pudessem navegar na web.

O auge

Em 30 de Abril de 1993, o CERN decidiu que a tecnologia utilizada para a criação da World Wide Web seria disponibilizada ao público gratuitamente – e assim continua até hoje. A partir daí, teve início uma trajetória de forte crescimento do uso da web, já que todos podiam ter seus próprios servidores e sites. Ao final de 1993, havia mais de 500 servidores na Internet, e a WWW representava 1% de todo o tráfego da Internet (na época, era um número significante). O resto correspondia a acesso remoto, e-mails e transferências de arquivos. Hoje, 20 anos depois, já temos cerca de 630 milhões de sites online.

Fonte: http://info.cern.ch/

Texto original de Jesica Mraz
Tradução e adaptação de Analuísa Bessa

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *