Fomos convidados ao evento Colômbia 4.0 e foi uma experiência incrível!

Algumas experiências superam as expectativas que criamos ao imaginar como elas serão. Essa é uma sensação incrível, que te emociona, te enche de alegria e aprendizagens. Hoje, queremos compartilhar com vocês uma dessas experiências.

Há poucos dias, fomos convidados a participar como speakers do evento Colômbia 4.0, que ocorreu em Bogotá de 23 a 26 de outubro. Foi simplesmente incrível, sem nenhum exagero! O que vivemos ali foi muito além de um simples encontro e comoveu profundamente todos nós que trabalhamos na Workana.

Como consideramos que vocês também são parte fundamental da plataforma, hoje queremos transcender os típicos posts com dados básicos de um evento. Hoje, nos permitiremos fazer exatamente o contrário… Queremos nos aprofundar juntos no contexto do evento para que vocês possam viver essa experiência com a mesma intensidade que nós vivemos.

Aproximar vocês desse tipo de experiências é a melhor forma que encontramos de permanecer sempre próximos e comunicados. Para, assim, continuar construindo juntos a rede de trabalho remoto e freelancers mais forte e unida do mundo.

Comecemos pelo começo: o que foi o evento Colômbia 4.0?

Colômbia é um país que acompanhamos bem de perto, pois (como veremos) está avançando muito no que diz respeito a novas tecnologias e modernização do trabalho. Os anfitriões do Colômbia 4.0 apresentam o evento da seguinte maneira:

Colômbia 4.0, o Encontro Digital de Economia Laranja, organizado pelo Ministério das Tecnologias de Informação e Comunicações (MinTIC), em aliança com o setor privado, será a oportunidade de conectar e inspirar os colombianos com os melhores expoentes do talento mundial em matéria de indústrias criativas digitais. De 23 a 26 de outubro, na Corferias, serão analisadas e discutidas as oportunidades e perspectivas geradas pela Economia Laranja, com o propósito de promover a criatividade, a inovação e os negócios de alto impacto.”

Como sempre acontece nesses casos, ficamos muito orgulhosos de receber o convite como speakers. Isso significa que estamos fazendo as coisas corretamente e temos cada vez mais peso no mundo do trabalho remoto e das novas tecnologias. Além disso, marcar presença em eventos como esse nos permite continuar apoiando a mudança no paradigma do trabalho que está ocorrendo no mundo inteiro.

Quem nos representou no evento foi Guillermo Bracciaforte, co-fundador da Workana. Ele realizou várias atividades e entrevistas, das quais podemos destacar duas participações cruciais. Guillermo foi host do Facebook Live “Como conseguir trabalho como freelancer”. E também deu uma conferência sobre “O trabalho e a 4ª Revolução Industrial”.

Já entraremos em maiores detalhes e compartilharemos os pontos chave e os vídeos do evento. Mas antes, queremos resumir alguns aspectos que te darão o contexto necessário para entender a escala e a importância do Colômbia 4.0.

Como ponto de partida, precisamos te fazer uma pergunta… Você estava concentrado lendo os últimos parágrafos ou ficou se perguntando o que é a “Economia Laranja”?

Breve introdução à “Economia Laranja” (not for dummies)

A Economia Laranja é aquela que está conformada por indústrias criativas e culturais. O economista e escritor John Howkins começou a estudar a relevância desta economia a nível global em 2002 e criou um mapa para representá-la.

O Banco Interamericano de Desenvolvimento se interessou nesses estudos e teorias e, então, dedicou-se a aprofundá-las. Segundo eles, a Economia Laranja pode ser definida como: “o conjunto de atividades que, em cadeia, permitem transformar idéias em bens e serviços, cujo valor pode estar baseado na propriedade intelectual”.

Considerando essa definição, as indústrias que compõe a Economia Laranja são:

  • Arte
  • Arquitetura
  • Cinema
  • Design
  • Publicidade
  • Televisão
  • Editorial
  • Teatro
  • Animação
  • Videogames
  • Música
  • Moda
  • Gastronomia
  • Artesanatos
  • Turismo
  • Patrimônio cultural.

Infelizmente, o termo ainda não é tão conhecido como deveria e os economistas quase não consideram a Economia Laranja nas suas análises macro. Porém, Felipe Buitrago Restrepo, no seu livro “A Economia Laranja: uma oportunidade infinita, faz uma análise profunda e detalhada. Nela, o autor dimensiona de forma muito esclarecedora o peso da Economia Laranja numa escala global. A seguir, você confere alguns dos dados mais interessantes que Restrepo nos oferece:

É impressionante notar que, se a Economia Laranja fosse um país, representaria a quarta força de trabalho do mundo  e seria uma das primeiras economias do planeta. Além de aparecer como um dos maiores exportadores de bens e serviços. Fica claro que as indústrias criativas são, hoje, mais fortes do que nunca.

Mas por que “Laranja”? Porque, segundo a psicologia das cores, o laranja está associado à felicidade e à criatividade.

Na América Latina, as indústrias culturais tem muita relevância e crescem cada dia mais. Os últimos dados indicam que gera mais de 124.000 milhões de dólares em ingressos anuais e dá emprego a quase 2 milhões de pessoas. E essa tendência não para de crescer…

A seguir, você confere um vídeo muito inspirador criado pelo BID sobre a Economia Laranja, o impacto que tem e que se espera que ainda tenha na região:

Colômbia acredita na Economia Laranja e na modernização do trabalho como parte integral dela

Poderíamos parar para analisar cada um dos países e veríamos dados super interessantes. Mas foquemos na Colômbia, porque é o país central desse artigo e, obviamente, ao que fomos convidados para o evento. Se você quiser se aprofundar sobre o estado da Economia Laranja e as indústrias criativas em cada país, pode ler esse estudo completíssimo.

Como te contávamos, já faz algum tempo que, na Workana, acompanhamos bem de perto o que a Colômbia vem fazendo na Economia Laranja, e também no empreendedorismo, na tecnologia e na modernização do trabalho.

De fato, foi o MinTic (Ministério de Tecnologias da Informação e de Comunicações) desse país que organizou as jornadas Colômbia 4.0. As iniciativas desenvolvidas nesse organismo buscam posicionar Colômbia como líder em novas tecnologias, empreendedorismo e trabalho remoto.

No que diz respeito à tecnologia, apoiam profundamente a modernização e a digitalização das micro, pequenas e médias empresas (MicroPMEs o MiPMEs). Para isso, lançaram o programa MiPyME Vive Digital / MicroPME Vive Digital, com o objetivo de: “incrementar o acesso, uso e apropriação da Internet nas MiPME colombianas para aplicar as TIC nos processos de negócio, a fim de aumentar sua competitividade e produtividade”. Essa iniciativa já formou mais de 195.000 empresários e beneficiou a mais de 34.000 empresas.

Fonte: https://colombiatic.mintic.gov.co/679/w3-propertyvalue-36674.html

Ao mesmo tempo, fomentam o desenvolvimento e crescimento do ecossistema empreendedor. Uma dessas iniciativas é o programa Apps.co, que começou em 2015 e já beneficiou mais de 132.000 empreendedores. Através desse espaço, capacitam empreendedores, ajudando-os a transformar idéias em startups, guiando-os para consolidar negócios digitais, expandir-se e chegar a novos mercados.

Colômbia aposta forte no trabalho remoto e se posiciona como líder na região

Na Workana, compartilhamos muitas dessas idéias e acreditamos que a tecnologia deve ser o motor da transformação e oferecer mais oportunidades às pessoas. Nós fazemos a nossa parte facilitando a contratação freelancer e apoiando o trabalho remoto.

Aqui temos outro ponto em comum com a Colômbia, já que o país está apostando forte nas iniciativas públicas para instalar essas tendências. E os resultados que eles estão obtendo são impressionantes.

Para te dar uma ideia do avanço que eles estão registrando, o número de trabalhadores remotos na Colômbia cresceu 287% nos últimos quatro anos.  Em 2018, existem mais de 122.278 trabalhadores remotos na Colômbia e 12.912 empresas os adotaram como parte integral do seu plano de negócio e esquema de trabalho.

As empresas colombianas de todos os setores e tamanhos adotam cada vez mais o trabalho remoto porque oferece 5 benefícios fundamentais:

  1. Diminuição dos custos operacionais;
  2. Aumento da produtividade;
  3. Aumento da eficiência dos processos;
  4. Trabalhadores mais motivados;
  5. Melhora no ambiente de trabalho.

Colômbia se propôs a ser um país líder no trabalho remoto e na modernização do trabalho. E seus números mostram que eles estão conseguindo alcançar suas metas:

Outra ótima iniciativa é que o setor público criou um portal do trabalho remoto, onde todas as pessoas interessadas podem conhecer mais sobre essa modalidade. Eles levaram tão a sério esse objetivo e conseguiram avançar tanto que criaram um enquadramento legal (marco jurídico) próprio para essa área. Veja só:

Nesse site, você também pode fazer download de um grande recurso oferecido gratuitamente: “o Livro Branco do Trabalhador Remoto“. É um manual que informa sobre todos os aspectos que os trabalhadores e as empresa precisam conhecer sobre o trabalhador remoto. Por exemplo:

  • Definição e conceitos chave;
  • Como implementá-los em organizações;
  • Que tecnologias são necessárias para utilizá-lo corretamente;
  • Enquadramento jurídico e considerações legais;
  • Ensinamentos e conselhos para os empresários e trabalhadores.

Colômbia está tomando iniciativas admiráveis para promover o trabalho remoto e oferecer mais oportunidades às pessoas e às empresas.

Sua filosofia e linha de ação têm muitos pontos em comum com o que estamos construindo na Workana. Por isso, consideramos fundamental situar você nesse contexto antes de detalhar como foi nossa participação no evento.

Agora sim: nossa participação no Colômbia 4.0

No evento, aconteceram muitas palestras, diálogos e conferências. Todos foram muito interessantes e você pode conferir tudo o que aconteceu clicando aqui.

Agora, passando concretamente à participação da Workana… No dia 22 de outubro, Guillermo Bracciaforte foi o host do Facebook Live “Como conseguir trabalho como freelancer”. E no dia 25 de outubro, deu a conferência “O trabalho e a 4ª Revolução Industrial”.

Vejamos os pontos mais destacados de cada uma dessas intervenções.

Facebook Live: Como conseguir trabalho como freelancer

Essa conferência teve uma abordagem prática bem marcada e focou-se em explicar como tirar o máximo proveito da Workana, tanto para freelancers especialistas como para aqueles que estão apenas começando. Também contamos quais são as profissões e os ofícios com maior demanda na nossa plataforma.

Esse foi um Live muito interativo que se baseou diretamente em responder as perguntas feitas pelos seguidores. Acreditamos que formar os freelancers e os clientes que os contratam sobre como trabalhar melhor é fundamental para fomentar relações em longo prazo.

A seguir, você pode ver o vídeo completo do evento:

Conoce cómo conseguir trabajo como freelance

Aprende a conseguir trabajo a través de diferentes plataformas de freelance. Guillermo Bracciaforte, cofundador y CEO de Workana, da interesantes consejos.

Posted by Ministerio TIC Colombia on Monday, October 22, 2018

Conferência “O trabalho e a 4ª Revolução Industrial”

O foco dessa conferência foi mostrar como o trabalho remoto e freelancer cresce cada vez mais no mundo inteiro. Diariamente, cada vez mais empresas adotam essa tendência que permite aumentar a produtividade, reduzir custos e melhorar a satisfação dos empregados, entre muitos outros benefícios. Este fenômeno está ocorrendo numa escala global, como você confere no slide abaixo tirado diretamente da apresentação:

Guillermo também nos mostrou os resultados e veja como eles são incríveis:

Na conferência, também apresentamos dados internos da Workana que mostram que, na América Latina, o crescimento dessa modalidade também é muito forte. Além de demonstrar que cada vez mais empresas, PMEs e startups adotam o trabalho remoto como parte integral de suas estruturas.

Para dar uma ideia desse crescimento, mencionamos que só em 2018, mais de 130.000 empresas publicaram projetos para contratar freelancers. E estimamos que esse número será muito maior no ano que vem.

Fonte: Apresentação “O trabalho e a 4ª revolução industrial”

Também aproveitamos a apresentação para analisar quais são as categorias que geram mais contratações na nossa plataforma. A ideia foi mostrar uma espécie de raio-X fiel do estado do freelancing e do trabalho remoto na América Latina.

Além disso, falamos de algumas empresas líderes, como a Unilever, Airbnb, Dropbox e Samsung, que contratam freelancers através de plataformas online como parte central da sua estrutura e plano de negócios.

Obviamente, também compartilhamos com todos os presentes o caso da Workana. Afinal de contas, nossa empresa conta com 50 pessoas, sendo que 27 trabalham de forma remota.

Os assistentes se mostraram muito interessados na nossa proposta, fizeram várias perguntas e aportaram comentários de enorme valor. E estamos muito, muito agradecidos.

Isso foi tudo que tínhamos preparado por nossa parte. Porém, como você já sabe, o evento durou vários dias e incluiu muitas palestras, seminários, conferências e exposições de altíssima qualidade.

A seguir, te convidamos a assistir a esse vídeo do resumo da nossa participação no evento:

Antes de nos despedir, queremos aproveitar esse post para agradecer o excelente tratamento que recebemos no Colômbia 4.0. Pelo interesse e respeito que mostraram os organizadores, participantes e meios de comunicação, que ajudaram na divulgação e nos fizeram entrevistas.

Na Workana, acreditamos no trabalho remoto, confiamos nele e ajudamos a promovê-lo. A ideia central da nossa plataforma é oferecer mais e melhores oportunidades às pessoas, aos trabalhadores e aos empreendedores que querem fazer suas empresas crescerem.

Em breve, nos encontraremos novamente,

Cordialmente,

Luis

Subscribe to the Workana newsletter and keep updated