Nosso plano de 4 passos para proteger o seu negócio da crise econômica que está se aproximando

Nosso plano de 4 passos para proteger o seu negócio da crise econômica que está se aproximando

Não importa em qual país você vive, nenhum comércio está a salvo. Nos últimos 10 anos aconteceram 3 crises financeiras de escala global. Hoje te ensinaremos uma estratégia fácil de implementar para blindar a sua empresa e crescer com passos firmes.

Não importa em que país você vive, nenhum tipo de atividade comercial está a salvo em se tratando de uma crise financeira. Na última década, por exemplo, aconteceram três grandes crises econômicas. E estamos falando em escala global.

No entanto, hoje te ensinaremos uma estratégia fácil e que pode blindar sua empresa a crescer com passos firmes rumo ao sucesso.

O efeito de uma crise financeira

A terrível crise de 1929 foi precipitada pela queda dos preços no mercado agrícola americano um ano antes. Quando eclodiu, em 29 de outubro, acabou afundando a Bolsa de Nova York e o prejuízo foi tão intenso que fez com que a legislação básica da bolsa de valores fosse modificada.

Quando ouvimos falar ou lemos sobre este fato em livros de Histórias, as coisas parecem abstratas e distantes. Mas basta uma análise mais a fundo na cronologia econômica dos países para perceber que essas crises vão e vem com muita facilidade. E lidar com negócios, sobrevivendo a essas ondas é essencial para sobreviver.

Só nos últimos anos, por exemplo, presenciamos o grande desgaste que ocorreu em 2001, após os atentados às torres americanas do World Trade Center fez com que o índice Nikkei de Tóquio caísse mais de 6%, além de prejudicar os pregões europeus com recuos enormes.

Um ano depois foi a vez da crise argentina, cujo governo à época não possuía fundos para manter a paridade fixa do peso perante o dólar e impôs uma medida conhecida como Corralito – restrições às retiradas em contas bancárias.

O problema financeiro começou a ficar muito sério para diversos países com a Grande Recessão, iniciada entre 2008 e 2009 que ficou conhecida como a maior crise financeira desde a queda da bolsa de 1929. Parecia algo que não afetaria os negócios de pessoas simples no resto do mundo, mas na vida real as coisas não aconteceram assim. Até os países emergentes, como o Brasil, começaram a sentir os efeitos da crise, mesmo que no seu início isso não tenha ficado nítido.

O mau momento americano acabou por contagiar o resto do mundo; quebrando bancos e revelando uma enorme bolha imobiliária. O presidente Barack Obama, que assumiu o governo pouco depois acabou por promover a maior reforma financeira do país depois dos anos 30, na tentativa de voltar a estabilizar as finanças. Dois anos depois a Grécia entra em crise, gerando desestabilidade na Europa.

Mas há uma maneira de evitar tudo isso e driblar a crise. Continue a leitura e descubra!

Um plano de 4 passos: proteja-se da crise!

Quem lida com negócios e comércio está sempre à mercê da (des)valorização do dinheiro e da mercadoria, além de ter de lidar com o fato de que a crise chega também aos consumidores.

O consumidor, com menor poder compra, acaba priorizando alguns serviços e cortando outros, o que faz com que vários negócios afundem durante períodos de crise por falta de clientes. E isso é o que ninguém deseja para seus negócios, certo?

1. Criar mecanismos de diferenciação

Pense rápido: quantas marcas de eletrônicos você conhece? E em quais você confia mais?

A reputação e o marketing de uma determinada marca podem fazer milagres, mas ela só será real para você se sua experiência com ela tiver sido positiva. Afinal, como existem outras, é muito simples trocar para a concorrência.

É aí que entra seu toque de diferenciação.

  • Considere o valor

duas estratégias interessantes ligadas ao preço que que podem ajudar a ressaltar sua marca diante das concorrentes. Oferecer um valor mais baixo mas que não perca em qualidade pode atrair e fidelizar consumidores de uma forma absurda. Por outro lado, há também a possibilidade de oferecer valores mais altos e ressaltar que aquele é um serviço Premium ou VIP.

Grande parte das empresas adotam os dois esquemas, oferecendo serviços com valores diferentes, dando ao consumidor o poder de escolha, o que também fideliza.

  • Ofereça algo novo e atraente

Seus serviços precisam ser atualizados com frequência. A Apple não seria a gigante que é hoje em dia se tivesse permitido que os concorrentes lhe passassem a perna quando o assunto é atualização.

Faça com que sua marca esteja sempre na dianteira das ideias e novos projetos. Os clientes realmente gostam de retornar a um produto ou empresa que lhes oferece sempre uma experiência nova. Mas nunca descuidando da qualidade, vale frisar.

2. Recortar gastos supérfluos

Parece assunto batido, mas é a realidade. Mais da metade dos pequenos negócios se afunda em dívidas já no primeiro ano de funcionamento pelo simples fato de não conseguir manter um equilíbrio e economia.

  •  Ao invés de contratar agências para serviços terceirizados, invista em freelancers que podem fazer o trabalho que você precisa em tempo hábil. Na Workana você encontra profissionais de diversas áreas, com segurança no pagamento e garantia na entrega do trabalho de acordo com suas expectativas.

Você pode clicar aqui para acessar a plataforma e começar o seu negócio com freelancers!

  •  Evite investir em decoração e acessórios caros que poderiam ser substituídos por outros mais em conta. Tudo o que não for primordial para o negócio não deve entrar na lista de gastos do primeiro ano de empresa.

3. Estratégias de promoção

Invista em estratégias de promoção para manter seu negócio em dia e espantar a crise financeira. A ideia é mostrar que sua marca está presente e sempre será uma opção viável para o seu consumidor.

  •  Faça promoções surpresa que tragam o público para o seu produto. A Amazon, por exemplo, adotou um calendário de promoções surpresa e relâmpago que duram um dia. Além de tirar o foco da Black Friday, a loja consegue bons faturamentos em meses que são mais “mortos”.

No último “Amazon Day”, por exemplo, o sucesso foi tão grande que o nome da loja ficou entre os assuntos mais comentados do Twitter e vários jornais noticiaram as 24 horas de promoção da loja.

Crie um vínculo exclusivo: ofereça descontos exclusivos para clientes que se mantiverem fiéis ao seu negócio e ao seu produto. Um cartão fidelidade, por exemplo é uma boa ideia. Se sua loja for pequena ainda, você pode fazer isso no verso de seu cartão de visitas, com carimbos. Quando o cliente alcança determinada quantidade de carimbos de compras, recebe um brinde ou um desconto exclusivo.

Um freelancer especialista em Marketing pode te ajudar a pensar em promoções e estratégias para os seus clientes. Acesse a Workana e encontre o profissional ideal!

4. Ter presença online

Para se comunicar com seus consumidores e clientes é necessário ter presença online. Em tempos cada vez mais dinâmicos em que as pessoas estão cada vez mais conectadas é impossível admitir uma empresa ou serviço que não possa ser encontrada com facilidade na internet.

Mais do que isso: seus canais de comunicação devem permitir que as pessoas consigam chegar até você e seus atendentes de forma rápida e clara – nem todo mundo gosta de falar ao telefone. Quanto mais prático e remoto o trabalho de comunicação, melhor!

Ainda pensando no mundo virtual e neste quarto passo, chegamos ao assunto seguinte, que é primordial para fazer o seu negócio decolar:

Adotando o E-commerce

A melhor opção para se manter no mercado mesmo em meio a crise é adotando o E-Commerce. As vendas online são uma boa maneira de economizar com gastos gerais com sedes e lojas físicas, além de se manter presente na interação com seus consumidores.

A agilidade na montagem de uma loja online, por exemplo, nem se compara a um negócio físico, com gastos maiores e muito reais. E para montar sua loja online você pode contar com a experiência de um profissional freelance da Workana. Com certeza você encontrará o profissional ideal para realizar o seu trabalho.

Outra grande vantagem e que está diretamente ligada ao primeiro passo que você viu anteriormente, é o fato de fazer de sua marca um diferencial. Se você é um dos poucos no seu nicho de atuação e oferece seus serviços em uma determinada área, porque não começar a oferecer para muito mais pessoas?

A internet pode levar sua marca e seu nome para um número incrível de pessoas e tornar sua empresa um referencial naquele assunto. O que fará seus lucros aumentarem sempre mais. Basta analisar a quantidade de lojas virtuais que existem e como elas têm sobrevivido às crises financeiras mundiais.

Grandes nomes do varejo têm investido na Internet porque sabem que, mesmo que as lojas físicas encontrem dificuldade, as virtuais estarão sempre um passo adiante. Que é onde sua marca também deve estar!

Você já havia pensado sobre tudo isso? Como a sua marca está posicionada atualmente, você acha que ela resistiria a uma crise? Deixe a resposta nos comentários abaixo!

E não esqueça que na Workana você pode contratar profissionais para te ajudarem neste plano para proteger o seu negócio da crise:

Boa sorte!