10 dicas de gestão financeira para PMes

10 dicas de gestão financeira para PMes

A gestão financeira é um ponto fundamental para o sucesso das PMEs. É por meio dela que será possível criar um plano eficiente para o gerenciamento das contas, manter os pagamentos em dia e monitorar todos os gastos e receitas do negócio.

Mas, o que pode ser feito para manter sob controle e fazer com que tudo funcione bem no que diz respeito às finanças? Se essa é sua dúvida, confira algumas dicas e boas práticas logo a seguir.

Aprender sobre finanças

Com certa frequência, encontramos gestores de pequenas e médias empresas que aprenderam a trabalhar com alguns softwares básicos ou aplicativos que auxiliam nas tarefas envolvendo lançamentos financeiros. Mas que, por outro lado, não aprenderam muito sobre termos e conceitos corriqueiros ao mundo das finanças.

Procurar dominar esse tema é fundamental. Em um momento ou outro será necessário que o gestor analise registros com um alto nível de complexidade, a exemplo de uma Demonstração de Resultados do Exercício. Ler a respeito, fazer cursos e procurar sempre se atualizar sobre o tema fará toda a diferença.

Software de gestão para empresas

A parte financeira das empresas é uma área que demanda vários tipos de controles e análises para que não ‘saia dos trilhos’. Entretanto, fazer tudo manualmente não é somente mais cansativo como também aumenta significativamente a possibilidade de erros.

Agregar ao negócio um sistema de gestão ERP eficiente e moderno trará mais agilidade, segurança e praticidade na execução das tarefas. Além disso, sistemas desse tipo ainda representam uma ótima fonte para a geração de relatórios que, por sua vez, tem papel fundamental na tomada de decisões.

Contas pessoais vs contas da empresa

Falar sobre separar as contas pessoais das contas da empresa pode soar como algo muito clichê. Entretanto, essa prática ainda é muito comum quando vamos analisar a gestão financeira de pequenas e médias empresas. Em um primeiro momento pode parecer que as contas de casa (escola, reforma, energia, gás) não afetam os recursos. Porém, se formos observar no longo prazo, essa prática pode provocar danos muito sérios às finanças do negócio.

Análise de resultados

A análise de resultados deve ser feita seguindo um cronograma rígido, por exemplo, todos os meses. É importante que se separe um tempo para essa atividade. As boas práticas de gestão financeira para empresas dependem de saber com exatidão o que ocorreu no passado para planejar melhor o futuro.

Uma boa ideia nesse sentido é criar relatórios. Com isso, será possível avaliar a situação do negócio em determinado período e ter pleno conhecimento sobre o que de fato ocorreu.

Reduzir custos

Pequenas e médias empresas sempre devem estar atentas para a redução de custos. A lógica é simples. Se é possível gerenciar o negócio com uma redução de custos (mesmo que mínima), as margens de lucro serão maiores!

Com isso, a empresa poderá se tornar mais forte no mercado uma vez que será mais competitiva e terá como oferecer preços mais interessantes ao cliente.

Por outro lado, é essencial ter muito cuidado nessa parte. Alguns gestores procuram reduzir custos e para isso mexem na qualidade do produto ou serviço. Se esse for o seu caso, é melhor reavaliar seus métodos. Lembre-se: a qualidade é insubstituível!

Fluxo de caixa

De maneira alguma haverá uma gestão financeira eficiente se não há clareza sobre o que está entrando e saindo da empresa. Deixar o fluxo de caixa em segundo plano nunca é uma ideia das mais interessantes para quem quer manter a saúde financeira do negócio.

E mais uma vez: o caixa da empresa não é o caixa do gestor! Misturar as coisas deixará tudo mais difícil de ser controlado na hora de fazer o fechamento.

Orçamento e investimentos

Avaliar como está a situação do orçamento e investimentos é um fator chave na gestão financeira. Do contrário, não é possível saber se há folga para planejar, se é o momento correto para aquisição ou expansão. Pesquisa de mercado e preço são dois fundamentos que ajudam as pequenas e médias empresas a manterem esse tópico mais organizado e com mais folga.

Fundo de reserva

Uma reserva financeira é uma das formas mais seguras para que a pequena e média empresa seja capaz de honrar com seus compromissos e manter a qualidade do serviço em caso de alguma eventualidade.

Além disso, com ele ativo, os gastos envolvendo possíveis demissões, direitos trabalhistas, 13° e até férias remuneradas dos empregados poderão ser geridos de forma mais eficiente sem que para isso seja necessário estressar o fluxo de caixa.

Há ou não lucro?

Pode parecer meio sem lógica, mas é muito comum entre PMEs o fato de não saber se há ou não lucro. Ressaltando que aqui podemos incluir os aspectos operacionais e as estratégias de mercado adotadas.

É importante avaliar e entender bem esse ponto o mais rápido possível. Somente assim, poderão tomar decisões futuras para corrigir eventuais erros com base em fundamentos reais. E, claro, com menos possibilidade de fracassos e mais gastos de recursos. Mas como  começar?

Implementar um software de gestão para empresas já é um bom caminho! 

Estoque 

Qual o valor do inventário? Muitas pequenas e médias empresas não saberiam dar uma resposta correta para essa simples pergunta. O motivo mais recorrente e que afeta diretamente a gestão financeira é o fato de que elas mantêm um relatório da quantidade de itens em estoque. Quando, na realidade, além de contabilizar o que se tem, também deveriam saber o valor e ainda avaliar se há ou não depreciação dos preços.

Essas são apenas algumas dicas simples e práticas para gestão financeira de empresas. Colocá-las em ação tornará o processo mais eficiente e seguro. Como consequência, seu negócio terá mais oportunidades de sucesso.