Entrevista: “Buscamos experiência e capacidade de desenvolvimento"

Recentemente, entrevistamos Juan Pablo Flores, fotógrafo e fundador da 39 SUR, uma produtora que nasceu em 2009 produzindo fotografia esportiva, documental e turística, desenvolvendo a maior parte do trabalho em ambientes naturais e especialmente em eventos esportivos de aventura. Com o passar do tempo outros serviços foram acrescentados, como a produção editorial, realização de tv e web design, além da criação de um festival de cinema de aventura, que desde 2008 percorre cidades da Argentina, Chile, Equador, Peru e Espanha.

Nestes anos, foram crescendo exponencialmente e decidiram terceirizar algumas tarefas com freelancers. Nesta entrevista, Pablo nos conta quais habilidades buscam em seus colaboradores freelance e como o trabalho em equipe é coordenado.

Quantos funcionários vocês têm atualmente e qual é a porcentagem deles que trabalha de maneira remota ou freelance (e em quais áreas)?

A 39 SUR conta com 4 profissionais fixos que são responsáveis por uma área de desenvolvimento (1 fotógrafo, 1 diretor de cinema, 1 produtor e 1 designer gráfico/web), e vários que se somam a cada projeto, dependendo das necessidades para desenvolver. Para a finalização de cada projeto, em áreas como edição de vídeo, design gráfico e programação web, temos que contratar 30% de colaboradores freelance.

Antes de contratá-los, vocês conheciam a opção da terceirização? Quais benefícios lhes trouxe?

Desde 2010, tentamos desenvolver nossos serviços terceirizando uma parte deles, com excelentes resultados, não só criativos, mas também com benefícios no tempo de desenvolvimento e entrega. No princípio, adotamos esta modalidade com dúvidas, mas depois de um tempo nos demos conta de que o funcionamento é adequado, sempre que tenhamos claros os nossos objetivos e possamos transmiti-los de forma clara e precisa aos nossos colaboradores freelance. Com o tempo, também nos demos conta do benefício econômico que a terceirização implicou. Devido ao tipo de projetos que desenvolvemos, é muito difícil contratar colaboradores fixos e para nós é muito mais flexível contratar profissionais freelance só por alguns dias. Quanto a isso, nós encontramos na plataforma da Workana a solução ideal para os nossos inconvenientes.

Que tipo de habilidades específicas vocês buscam nos colaboradores remotos?

Levando em conta as nossas necessidades, buscamos que os nossos colaboradores remotos nos ofereçam experiência e capacidade de desenvolvimento. Valorizamos a criatividade e a proposta de novas ideias em nossos projetos, assim como a rapidez de entrega.

Como coordenam o trabalho entre todos os membros da equipe?

Cada integrante da produtora administra uma área de desenvolvimento e é responsável por uma equipe de trabalho específico com independência de decisões. No entanto, ao trabalhar em um mesmo escritório, podemos gerar propostas, avaliar e controlar o avanço de cada projeto diariamente e em grupo, para que depois cada responsável da área o transmita para a sua equipe de trabalho.

Como comunicam as expectativas e pautas de trabalho?

Na primeira segunda-feira de cada mês, a equipe de desenvolvedores da 39 SUR se reúne para avaliar os projetos para o mês atual. Ali, são definidos os tempos de produção e desenvolvimento de cada projeto e se estudam as datas de entrega. Também se avalia o tipo de profissional freelancer que cada projeto precisará. Com eles, a comunicação é através da plataforma Workana, que facilitou muito a difícil tarefa de somar profissionais a nossa equipe de trabalho.  

 

E para encerrar… o que vocês NÃO esperavam da terceirização e o que os surpreendeu positivamente?

Desde o início, decidimos que trabalhar em conjunto com outros profissionais seria a maneira mais adequada de funcionar. Principalmente pelo tipo de projetos que desenvolvemos. Por isso, a maior dúvida que tivemos ao delegar parte do trabalho foi a possibilidade de não saber transmitir claramente o que precisávamos para os nossos projetos. Com o tempo aprendemos e até hoje não tivemos grandes inconvenientes com a terceirização. Pelo contrário: encontramos excelentes profissionais freelance que não só cumpriram com as nossas necessidades, mas também acrescentaram ideias que finalmente incluímos no desenvolvimento de projetos.

Obrigado pela entrevista, Juan Pablo!

Entrevista de Jesica Mraz
Tradução e adaptação por Equipe Freelaholic

2 Comentarios
Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *