Equipes virtuais: entrevista com Alejandro Cavallero, CEO do GuiaLocal

Para poder coordenar o trabalho de uma equipe distribuída geograficamente (e para que as coisas funcionem), é necessário ter certa metodologia. E o mais importante: comunicar-se regularmente, de forma clara e efetiva. Ferramentas colaborativas, trocas na gestão do trabalho e avanços na comunicação marcam o cenário ideal para que esta tendência continue aumentando.

E, nesse sentido, se há alguém que pode contribuir muito com base em sua experiência é Alejandro Cavallero, CEO do GuiaLocal, um guia online completo de estabelecimentos comerciais, produtos e serviços em nível ibero-americano.

No GuiaLocal, a equipe é composta de 15 pessoas: 3 trabalham em Buenos Aires (na área de Administração e Vendas) e 12 em Mendoza (em Marketing e T.I.). Embora ainda não tenham implementado a modalidade do teletrabalho – uma das tendências freelancer para 2014 -, ela já está em seus planos: valorizam muito a possibilidade de contar com os melhores colaboradores, estejam onde estiverem, para ganhar em produtividade e resultados. E sabem cuidar de sua equipe. Nesta entrevista, Alejandro nos conta os segredos para permanecer em contato, conectados e unidos, mesmo que seja à distância 😉

W: Quais são os benefícios reais de se trabalhar com equipes virtuais?

A: Uma das vantagens fundamentais seria a flexibilidade de contar com gente nativa em diferentes regiões, o que nos permitiria entender melhor as necessidades locais, atender em diferentes idiomas e ampliar o horário de atendimento. Outra vantagem é a possibilidade de somar recursos sem necessidade de ampliar os escritórios, o que constituiria um gasto muito alto de tempo e dinheiro.

W: Em sua opinião, quais são as habilidades que um gerente deve ter para liderar uma equipe virtual?

A: Acho que é essencial definir muito bem seus objetivos, que devem ser idealmente mensuráveis, estabelecer prazos de entrega e progresso, além de habilitar canais eficientes de comunicação para integrar suporte e coordenação.

W: Como vocês mantêm a comunicação com toda a equipe?

A: Temos reuniões mensais em Mendoza, nas quais revisamos o alcance dos objetivos estabelecidos e definimos as prioridades para o próximo período. Utilizamos a metodologia “SCRUM”, segundo a qual cada período é chamado de “Sprint”, e fixamos uma data para o Sprint Review e o Sprint Planning que envolva todos os setores.

E, durante o Sprint, fazemos várias ligações para acertar detalhes, tirar dúvidas ou atender necessidades de alta prioridade que tenham surgido depois do Planning.

W: Quais ferramentas ou recursos vocês usam para coordenar o trabalho do dia-a-dia?

A: A maioria das ligações são feitas e gravadas através do Skype ou Google Hangouts.

W: Vocês estabelecem pautas para organizar o trabalho? (por exemplo, periodicidade da comunicação, tempo de resposta, relatórios, etc.)

A: A metodologia escolhida nos ajuda neste caso. Cuidamos para que cada Sprint não dure mais do que 3 ou 4 semanas, porque precisamos ser muito dinâmicos.

W: Como vocês avaliam resultados e desempenho?

A: Cada área tem suas prioridades e planos definidos para executar durante o Sprint. Logo, ao finalizar o Sprint, cada área apresenta para toda a equipe os resultados alcançados. Se houve alguma demora, são explicadas as razões e, se continua sendo algo prioritário, ocupará espaço no próximo Sprint. Por sorte, geralmente nos surpreendemos com mais e melhores realizações do que estava previsto.

W: Quais você acredita que sejam as premissas fundamentais para manter a coesão da equipe?

A: Acreditamos em uma liderança inspiradora, na busca de consensos e no diálogo com todos os membros da equipe. Vestimos bastante a camisa e, ainda que os papéis estejam muito bem definidos, defesa é defesa e atacante é atacante, damos cobertura um ao outro, os atacantes marcam para recuperar a bola e a defesa passa para o ataque, pra marcarmos o gol. Minha paixão pelo futebol tinha que aparecer…

————————————–

Muitíssimo obrigada por esta entrevista, Alejandro! 🙂

Entrevista feita pela Jesica Mraz
Tradução e Adaptação feita pela equipe Freelaholic

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *