Comunidade Freelancer: Métricas e tendências

Queremos compartilhar com vocês um estudo do mercado digital conduzido por Carolina Gamond, consultora, que desenvolveu uma pesquisa entre profissionais freelance para entender qual o perfil que os caracteriza, o que valorizam mais nesta atividade, quais são suas motivações e quais são os maiores desafios que devem enfrentar.

Na Workana, consideramos valiosíssima esta informação, porque nos ajuda a otimizar a experiência de nossos usuários, entender quais são suas necessidades e prosseguir com o crescimento profissional da atividade freelance.

Fiéis ao nosso estilo, apresentamos um infográfico com as métricas de maior destaque nesta pesquisa 😉

Métricas: Entenda a comunidade freelancer

métricas comunidade freelancer

Vocês se identificaram com os resultados? No seu caso, o que vocês mais valorizam na vida freelance? Esperamos seu feedback!

Texto original de Jesica Mraz
Tradução e adaptação de Analuísa Bessa
5 Comentarios
  1. Parabéns, Analuísa!
    Sempre quis saber sobre esses dados. A maioria dos resultados condizem com minhas expectativas, mas alguns são surpreendentes.

    Abs,

    1. Oi, Leandro! Ficamos felizes que tenha gostado do nosso artigo. O estudo realmente tem muito a acrescentar. Só a confirmação das nossas expectativas já é um passo em direção a uma profissão freelancer mais consciente e produtiva. E a clientes mais informados 😉 A equipe da Workana agradece seu comentário. Bons negócios!

  2. Olha, o que eu percebi é que o cliente está menos preparado para a relação do que o profissional. Talvez seja porque nós mesmos não fazemos propaganda da nossa atividade. O freela ainda é considerado aquele carinha que tá desempregado. Quanto ao trabalho está ótimo, precisa ser divulgado . Parabéns, Analuísa!

  3. Olá! Muito interessante analisar esses resultados. Sou freelancer e, como disse o colega aqui em cima, grande parte condiz com minhas expectativas. Gostaria de mais informações sobre a pesquisa: onde foi feita, quando, com quantos profissionais etc. É possível? Obrigada!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *