Dia do Programador: como ser um programador freelance e não morrer na praia!

Dia do Programador: como ser um programador freelance e não morrer na praia!

Feliz Dia do Programador!

Para comemorar esta data, convidamos o Tiago Souza, programador freelance na Workana, para escrever um blog post com Dicas para você ser um programador freelance de sucesso, e não morrer na praia.

Confira!

————————–

Sou Tiago Souza, programador backend, trabalho integralmente como freela há 2 anos, dentre os quais de maneira exclusiva na Workana, ela que foi a segunda plataforma que busquei jobs, mas a que tornou possível verticalizar e concretizar um antigo desejo de maior autonomia, evolução profissional e sem dúvidas maiores ganhos.

O grande problema do desenvolvedor, independente de qual stack desenvolva, sem sombra de dúvidas é a ORGANIZAÇÃO. Se você optou por ser o analista, gerente de projeto e desenvolvedor, precisa ter muita cautela com relação a organização do seu tempo.

Já errei nesse ponto e confesso, é muito ruim!

O insucesso da análise de um projeto tem um gosto muito amargo, por isso uma questão fundamental  para o desenvolvedor é NÃO SE COMPROMETA COM O QUE NÃO PODE FAZER. Muitas vezes ser técnico não é o suficiente, tem de ter um pouco de visão e estratégia, pois muitas vezes nem passando noites em claro programando vai matar o monstro que você mesmo cria durante o dia.

Dicas para ser um programador de Sucesso: você pode estar errando!

1. Defina o que deseja fazer

Ao efetuar seu cadastro na plataforma, é fundamental já saber se o seu foco é trabalhar com frontend ou banco de dados, por exemplo, pois sabendo onde dar suas investidas, você descarta um mar de possibilidades que não são válidas para você, e isso torna possível investir muito mais tempo falando com clientes que você tem alguma propriedade sobre o que ele deseja.

Em programação você normalmente encontra 2 cenários, jobs de desenvolvimento integral  de um projeto (onde você é responsável por absolutamente tudo, ou por toda uma funcionalidade por exemplo), ou correções (adequações e correções de bugs).

Se você quer um trabalho rápido, a segunda opção é o caminho. Já se deseja um trabalho a longo prazo, desenvolvimento de um projeto desde o começo é o mais indicado. Mas cuidado, a melhor maneira de se firmar é conseguir um fluxo bom de clientes na primeira opção e depois partir para a segunda. Isso gera mais confiança, permite conhecer melhor tudo, não só os clientes, mas te prepara para esse mundo desafiador do freelancer.

2. Ganhe projetos com uma análise coerente

No começo pode gerar dúvidas sobre a melhor forma de conseguir projetos, acredito que não tenha uma regra, mas uma estratégia errada que muitos adotam é ganhar pelo menor preço, isso é suicídio!  

A estratégia que adotei como bandeira e sempre  funcionou é o foco em se comunicar com o cliente.

O cliente de um bom projeto avalia a sua capacidade de resolver o problema dele, e para saber isso a comunicação é o ponto chave antes de iniciar um job. Para cada minuto gasto em análise e em compreender a problemática, são pelo menos 3 horas de dor de cabeça que você evita por não ter compreendido de maneira correta um escopo.

Procure nas primeiras abordagens saber melhor sobre o escopo e até mesmo passar soluções que podem viabilizar o projeto, seu cliente vai valorizar muito isso, e no momento do orçamento levará isso em conta. Caso o cliente esteja pouco disposto a se comunicar, talvez ele não seja o melhor cliente para o momento, pois o que você menos precisa agora, é de uma arbitragem em seu histórico.

3. Áreas de atuação

Algo muito importante, é definir o que você faz e o que não faz. E o legal de trabalhar com a Workana é que ao se sentir seguro de uma nova tecnologia, pode iniciar profissionalmente nesse meio. Confesso que essa limitação foi uma das maiores frustrações que tinha quando trabalhava em regime CLT, onde se eu quisesse trabalhar com mobile por exemplo, dependeria diretamente de uma segunda ou terceira pessoa.

Atuo basicamente no desenvolvimento de sistemas web, foi o nicho que foquei e mais gosto de atuar, e a Workana me permitiu por muitas vezes sair da minha zona de conforto que era a linguagem PHP e me aprofundar em Javascript em várias oportunidades, e isso é muito bacana do ponto de vista de evolução do desenvolvedor, pois é a possibilidade de aplicar aquilo que se estuda em um case real, gerando um portfólio.

4. Mente sã corpo são

Parece aquelas frases clichês de vídeos motivacionais, mas realmente não é. Se você decidiu por iniciar uma carreira freelancer mesmo que para ter uma renda extra, muito provavelmente a parte técnica não seja um problema, o restante é como você se dirige e encara um cliente. Jogue limpo com você mesmo, se já não é mais tão legal continuar o que você vem fazendo habitualmente, não tem motivo para continuar fazendo na sua carreira freelance.

Programe na área, linguagem ou pra quem você gosta, isso será o que te vai fazer acordar mais cedo mesmo não tendo um chefe. 🙂

 

Tiago Souza é Programador Freelance na Workana. Conheça o seu perfil!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *