Como vencer os temores da primeira contratação freelance

Finalmente chegou o dia tão esperado… Seja porque o nosso negócio cresceu ou porque temos a possibilidade de concretizar esse sonho tão adiado do próprio negócio, decidimos contratar um ou vários profissionais freelance para levar o projeto adiante. Acessamos o Google dispostos a buscar um freelancer… e ai aparece a nossa solução: WORKANA!

As instruções são claras e simples, e sem pensar duas vezes publicamos um projeto. Enquanto as horas passam e as diferentes propostas dos freelancers começam a chegar, também começam a aparecer nossas dúvidas, nossos temores… “Como posso saber se a Workana não vai ficar com o dinheiro que paguei?”; “E como posso saber qual é a melhor proposta para o meu projeto?”; “E se roubarem a minha ideia?”.

contratação-workana

O objetivo de hoje é responder a algumas dessas perguntas, para que assim você possa se concentrar no que realmente importa: o seu projeto.

Além do tema ético que significaria ficarmos com o seu dinheiro, fazê-lo seria ir contra a razão de ser da Workana, a razão pela qual concebemos esta plataforma. E qual é uma das razões pelas quais criamos a Workana? Ajudar os nossos clientes a encontrar o melhor talento remoto para os seus projetos… e que os projetos que nos confiam sejam completados com êxito.

A realidade é que, se nos transformamos em uma ferramenta útil e rentável para o seu negócio, você confiará na Workana para os seus próximos projetos, e esta é a chave para o nosso negócio.

Você acabou de receber várias propostas (mais do que esperava), e agora está se perguntando qual delas é a melhor para o seu projeto. Uma forma de escolher a melhor proposta é optar por alguns dos profissionais recomendados pela Workana: eles já completaram projetos através da nossa plataforma e por isso sabemos como trabalham. Não porque somos magos, mas sim porque os clientes com os quais trabalharam antes nos contaram.

Outra forma é visitar os perfis dos profissionais que entraram em contato com você. Ali você poderá verificar a quantidade de projetos que já completaram, como estão posicionados no ranking dentro da Workana, ver os seus portfólios, quais certificações têm e o que os clientes disseram sobre eles.

Finalmente, uma vez que você tenha escolhido aqueles perfis que melhor se adequam a sua busca, entre em contato com eles e faça todas as perguntas necessárias. Não tome uma decisão apressada. Dedique alguns minutos do seu tempo para analisar as diferentes propostas e estudar os perfis até sentir que encontrou a pessoa que estava buscando: o profissional certo para o seu projeto.

Já conhecemos um pouco mais da Workana, já sabemos como selecionar os profissionais… agora é hora de avançar e enfrentar o último dos nossos medos: como proteger a ideia. Faz tempo que você está correndo atrás dela, do começo ao fim… e mais de uma vez você pensou que ela estava escapando entre os seus dedos, não?

Analisar os perfis dos profissionais, como mencionamos antes, é uma das maneiras de protegê-la. Como sempre asseguro aos meus clientes, a Workana não faz uso de nenhuma ideia publicada por um cliente para proveito próprio. Fazê-lo não só seria antiético (algo que já vimos), mas também iria contra a nossa ideia de negócio. E os profissionais? Se você achar conveniente ou necessário, peça que assinem um acordo de propriedade intelectual antes de compartilhar os detalhes do seu projeto, ou antes de aceitar a sua proposta e começar a avançar no desenvolvimento do mesmo. Os profissionais recomendados pela Workana estão acostumados com este tipo de solicitação. Não esqueça que desenvolver ideias de outros é o seu trabalho.

Adoraríamos resolver todos os seus problemas, mas sabemos reconhecer as nossas limitações. Dado que cada negócio e cada país têm a sua própria legislação, dar um modelo genérico que atenda as particularidades de cada caso seria irresponsabilidade. Por isso, recomendamos que você busque um advogado que as resolva e proteja o seu projeto, esse que tanto lhe custou construir.

E… está mais tranquilo? Se apesar de tudo você ainda tiver perguntas sem respostas, visite o nosso Centro de Ajuda, o nosso canal no Youtube ou entre em contato conosco. Como sempre digo, estamos aqui para ajudá-lo.

Autora: Silvia Cura, Converter, sonhadora inveterada e com grandes problemas para manter-se ancorada na terra. Hoteleira e marinheira de alma.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *