Dia do Designer: Aldana Fiandrino, designer e empreendedora

Dia do Designer: Aldana Fiandrino, designer e empreendedora

Neste dia Mundial do Designer, queremos te apresentar a história de Aldana, uma profissional da área que se animou a empreender por sua conta e criar o seu próprio estilo de vida.

Não me conformar foi o que me fez crescer muito como designer no último ano como.

Cheguei ao freelance por não ter medo, por não me conformar. Por me animar e renunciar a um trabalho horrível.

Sou Aldana, Designer em Comunicação Visual da cidade de La Plata (ARG). Há um ano e meio decidi renunciar ao meu último trabalho como designer freelance em uma agência de Buenos Aires, que com certeza tinha um pacto com o diabo. Só pode! Foram apenas 3 meses, os 3 meses mais longos e angustiantes da minha vida. O maltrato que vivi era diário e a perseguição fora do trabalho também. Eu não podia me conformar com isso, por isso terminei renunciando a este emprego. O meu bem estar vem primeiro que qualquer trabalho..
Mas não foi fácil.

dia-do-designer-freelancer-workana

Foram 4 meses de nada ( bah! 4 meses de tirar cvs) até que me contaram destas plataformas freelance. Se bem que, quando me disseram que era possível manter uma estabilidade com plataformas como a Workana, eu não acreditei. Mas, como tinha tempo livre, não tinha nada a perder enviando propostas.

Foi assim que eu entrei no mundo do trabalho remoto.

Tenho que esclarecer que sou de La Plata, uma linda cidade cheia de árvores, praças, parques, e onde há várias universidades, por isso é um ponto de encontro de gente jovem, agito, música, cultura e muita cerveja artesanal.

Sou freelancer porque gosto de aproveitar a minha cidade, de ter tempo para mim e para as minhas coisas, dormir mais se tenho vontade, acordar cedo para ir à praça com minha cachorra; um dia trabalhar em casa, em outro ir a um coworking.

Sou freelancer porque aprendi a valorizar o meu trabalho e o meu tempo, e em geral as empresas daqui não valorizam o meu tempo.
Sou freelancer porque a monotonia me cansa, eu gosto de mudar de projetos, estabelecer novas relações, fazer coisas diferentes.
Sou freelancer porque não tenho medo de mudar, de buscar novos desafios e continuar aprendendo.

Mas, cuidado! Nem tudo são flores. Para ser freelancer é preciso ser responsável, saber se organizar, planejar, cumprir. Este é um ponto chave de manter a harmonia no trabalho. Acredito que todos os freelas já trabalharam até tarde, que o lugar onde trabalha é o mesmo em que você come, onde assiste um filme, onde se junta com os amigos, etc. É importante estabelecer um horário de trabalho, ter um espaço para trabalhar, como seria em uma relação de dependência (CLT).

Acredito que os freelancers gostam dessa adrenalina de não ter nada assegurado, mas quando você aprende a ser organizado e se planejar, as coisas vão criando cor e tudo se torna mais estável.

 

Este último ano foi de aprendizagem, aprendi a lidar com clientes, a fazer um orçamento, a coordenar outras pessoas, negociar, planejar, organizar, a me capacitar e me desafiar, aprender a organizar as minhas contas. Cada experiência resultou em aprendizagem.

A aposta é acreditar que você pode. Sempre querer mais, estabelecer objetivos de curto e longo prazo, Moldar a nossa mente que nos diz “nã vou conseguir”. Sim, é possível, eu consegui e você também pode conseguir. Só precisa de constância e predisposição, assim você conseguirá ser independente. Ser freelancer.  

Anime-se você também a pensar em sua vida como mais te agrada! Este é só um exemplo de como se dedicar ao Design pode abrir muitas portas para empreender. Neste Dia do Designer, vamos brindar a isso!

Parabéns, designers!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *