Negócio próprio: passo-a-passo para encontrar a oportunidade perfeita

Aqui na Workana, costumamos dizer que o trabalho não é um lugar para onde vamos, mas sim o que fazemos. E, se vamos dedicar boa parte dos nossos dias a essa atividade, é bom que seja uma pela qual nos sentimos apaixonados.

Nossos fundadores já deram muitas dicas de como criar um produto de sucesso, como implementar uma boa ideia, os 6 erros dos empreendedores iniciantes, etc. Mas muitas pessoas sonham em ter um negócio sem saber muito por onde começar. É para essas pessoas que escrevemos esse artigo 😉

1. Encontrando a paixão interior

O que faria você carregar o laptop por aí?
O que faria você carregar o laptop por aí?

O primeiro passo para encontrar a oportunidade perfeita de negócio próprio é olhar para dentro de si mesmo. Embora pareça algo super zen e espiritual, essa dica é bem básica: você vai abrir um negócio próprio, certo? Quer dizer que você vai passar quase o dia todo falando dele, contando como chegou à ideia desse negócio, defendendo com unhas e dentes o trabalho que você faz nesse negócio.

A não ser que seja algo pelo qual você seja verdadeiramente apaixonado, você vai se enjoar antes mesmo de atingir o sucesso. E, nesse caso, todo o sacrifício terá sido em vão. A paixão é imprescindível justamente nessa fase inicial, de dificuldades e muita luta. Até porque, depois de atingir o sucesso, fica muito mais fácil recuperar a paixão que você pode ter perdido no meio do caminho 😛

Responda as seguintes perguntas e você descobrirá suas paixões:

  • O que eu teria paciência de fazer por mais de 8 horas por dia?
  • Eu sacrificaria finais de semana, feriados e Festas de fim de ano para fazer o quê?
  • No que eu estaria disposto a investir todo o meu tempo e dinheiro?
  • Que tipo de atividade nunca me “enche o saco”?

Você pode achar essas perguntas estranhas, mas a verdade é que um negócio próprio demanda 300% da sua atenção, principalmente no início, quando você provavelmente estará sozinho lutando para emplacar essa iniciativa. E não vai ser incomum que você perca seu tempo livre investindo em eventos corporativos, reuniões com novos clientes ou melhorias no escritório, tudo com o objetivo de melhorar os resultados do negócio.

A verdade é que todos esses sacrifícios trarão frutos (e muito tempo livre) mais à frente, quando o negócio estiver pronto, em funcionamento e estável – e quando você tiver uma equipe para tocar as coisas por você, enquanto você curte todos os feriados que não pôde curtir antes. 😉

Mas, enquanto isso, é importante trabalhar com algo que garanta seu bem estar. Não quer dizer que o trabalho precisa ser sempre melhor do que curtir uma praia em Búzios ou ir ao cinema com a galera, mas deve ser algo que faça você sentir realização pessoal. Idealmente, claro!

2. Se virando sozinho

Não, você não precisa construir um one-man business – isto é, um negócio de uma pessoa só. A não ser que você deseje, literalmente, ser um microempreendedor individual, modalidade de empresa que existe aqui no mercado brasileiro.

No entanto, mesmo que você deseje abrir um negócio próprio para crescer, ter uma equipe e não ter limites de ganhos, clientes e contratações, você precisa abrir um negócio no qual você consiga se virar sozinho.

Como mencionamos anteriormente neste artigo, a fase inicial de um negócio é muito dura. Requer muito esforço, dedicação, suor e lágrimas – tá, nem tanto. Mas requer arregaçar as mangas mesmo sem lucrar nada com isso, já que os frutos virão mais adiante. E não é certo que você terá o capital inicial para a mão-de-obra necessária para ajudar seu negócio a decolar.

É por isso que o ideal é apostar em um negócio próprio que esteja dentro de sua própria área de formação, pra que você mesmo possa ir atendendo e  aprendendo a fidelizar clientes, estabelecendo um bom padrão de qualidade e o boca-a-boca cuidará de trazer novos clientes para você. Quando o volume de trabalho (e rendimento) crescer, naturalmente você poderá chamar novos talentos para ajudar a “exponenciar” seu negócio!

3. Sabendo ensinar

Quando você é um CEO ou dono de empresa, você vira um porta-voz de sua marca, tanto para seu público externo (clientes e, se for o caso, acionistas) quanto para o interno (sócios, funcionários). Isso significa conviver, no dia-a-dia, com pessoas que terão dúvidas e perguntas para você. Que vão querer aproveitar suas opiniões, conhecer seus interesses e suas origens.

Para que tudo isso aconteça com naturalidade e sem ser tedioso para você, é importante que seu negócio próprio seja de uma área sobre a qual você saiba falar. Não adianta você amar o que você faz e saber fazer sozinho, se você não sabe ensinar o que faz para outras pessoas.

Afinal, novos clientes vão querer entender o seu processo criativo. Novos membros da equipe vão precisar de treinamento (e você pode não ter alguém tão qualificado quanto você para ensiná-los). E outras pessoas olharão para você com admiração, pelo cargo que você ocupa em seu negócio, e vão querer dicas e sugestões de como chegar onde você está.

4. Sempre motivado = sucesso contínuo

Por isso, na hora de buscar uma oportunidade perfeita de negócio próprio, considere esses três fatores: escolha a oportunidade que vá sempre fazer seus olhos brilharem, o negócio que você possa tocar sozinho e um trabalho que você saiba “passar adiante”.

Esses são os três passos para encontrar a oportunidade perfeita para um negócio próprio de sucesso contínuo, onde “motivado” é igual a “sucesso” e “sempre” é igual a “contínuo”.

Acha que ficou faltando algum passo para o momento de abrir seu negócio próprio? Deixe suas reflexões nos comentários e interaja com a comunidade workaneira! 😉

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *